quinta-feira, 30 de junho de 2011

Censos 2011 [II]

Regressando à questão dos resultados preliminares dos Censos 2011, volto a registar uma enorme estranheza no que aos dados do concelho de Santa Maria da Feira diz respeito. A constatação de uma diferença, inaceitável (num estudo de qualidade), de 10.000 habitantes entre a última previsão, com apenas um mês, e os Censos não transmite grande segurança quanto aos dados pelo INE apresentados. Antes de mais, vamos considerar os resultados dos Censos e da última previsão anual.

Censos 2001:
População Residente no Município de Santa Maria da Feira (2001) - 135.964 habitantes.

Estimativas anuais 2010 (7 Junho 2011):
População Residente no Município de Santa Maria da Feira (2010) - 149.337 habitantes.

Censos 2011 (30 Junho 2011):
População Residente no Município de Santa Maria da Feira (2011) - 139.393 habitantes.

Sem perder demasiado tempo com um assunto que alguém, um dia, se dignará a explicar, consideremos, agora, o mapa com a variação populacional apresentado no resumo de imprensa dos resultados preliminares dos Censos 2011, onde claramente se constata o crescimento radial em torno do Porto e de Lisboa, com perda de população nos centros metropolitanos.

Variação Populacional (%) nas Áreas Metropolitanas.

Apenas mais uma nota, para deixar os dados preliminares completo para o concelho feirense.


Censos 2011 - Resultados Preliminares - Santa Maria da Feira

2 comentários:

Nimpo disse...

No caso do Porto, as estimativas de 2010 eram de 214 mil habitantes. Eles tinham colocado o Porto a perder quase 10 mil habitantes em cada estimativa anual, quando os resultados mostram afinal 237 mil em 2011 (diferença de 23 mil habitantes...). Não sei que tipo de dados usaram para fazer estas estimativas, mas claramente estavam desajustadas com a realidade.

Uma ilação que se pode tirar da comparação do crescimento das duas áreas metropolitanas é a pujança de crescimento da AML em comparação com um muito mais fraco dinamismo da AMP... Por outro lado, em relação à AMP, surpreendeu-me Espinho, não pela diminuição da população, que já seria previsível, mas pelo facto de esta ser superior a 5%, o que é um sinal muito negativo.

bc23 disse...

Sim, claramente temos uma problema metodológico com a elaboração das estimativas anuais. Em nada se assemelham à realidade... será um caso a ponderar no futuro!!! :P

Espinho acaba por não me surpreender assim tanto, a tendência de crescimento no sentido de S. Félix está a transferir população para Gaia, mesmo aquela que se muda a pensar em Espinho. E o centro... diga-se a política urbanística não tem sido a melhor para cativar habitantes...