segunda-feira, 1 de agosto de 2011

Viagem Medieval 2011...



No final do primeiro fim de semana da edição 2011 da Viagem Medieval em Terra de Santa Maria é tempo de reflectir nas inovações apresentadas. As dúvidas quanto ao pagamento de bilhetes dissiparam-se. Instalou-se um sistema de bilheteira simples e prático, que terá levantado muitas questões. Na verdade funciona, mas como nunca fica mal a ninguém ouvir sugestões, talvez haja mesmo ajustes em próximas edições. Nem crise nem bilheteira afastaram o público. Esta edição da Viagem apresenta-se concorrida, como sempre.
No que aos conteúdos diz respeito, a adesão do público aos espectáculos tem sido notória. A aposta nas indústrias criativas, como plataforma de diferenciação, apresenta-se com um factor de mais-valia de dimensão relevante.
A nova conformação do recinto, ao nível do parque da cidade, apresenta, como se previa, maior fluidez de visitantes e acima de tudo mais espaço e conforto para o público que assiste ao espectáculo "Honra e Glória".
Durante os próximos sete dias Santa Maria da Feira continuará a viajar no tempo.

7 comentários:

rafael silva disse...

Parabéns a toda a organisação da feira Mediaval mas com uma excepção as pulceiras é que é uma Aberração , pois já deu muita confusão e contestação não está em causa o dinheiro mas a forma de ter as pessoas marcadas como uma simples Mercadoria.Espero que esta situação seja revista pois penso é o que vai acontecer. O exemplo cartão mais o B.I penso que está correto.Felicidades:Rafael Silva.

Stradi disse...

Caro a Rafael, acho que não dirias o mesmo em relação a uma pulseira se fosse para um festival tipo Paredes de Coura ou Vilar de Mouros!

Quanto as reflexões, aem relação à venda de pulseiras, fui comprar pulseiras à junta de freguesia e na 5f, dia de início do evento, e informaram-me que já não havia, pois só tinham mandado 50 para cada Junta de Freguesia, e que mesmo assim já tinham passado a recolher as pulseiras na 2f!
Outro pequeno reparo, deve-se ao nível de transportes, há a transfeira e a transdev, mas penso que deveriam apostar em autocarros que viessem das freguesias adjacentes, dou o exemplo de Fornos e Escapães, que têm parques de estacionamento ou espaços que podem ser estacionados carros junto as igrejas das respectivas freguesias, e daí sairem autocarros em direcção ao recinto! Deveriam pensar no assunto num futuro próximo!

Gostaria de saber a vossa opinião!
Saudações!

bc23 disse...

Bem, em parte até concordo com o Rafael. Não com o facto de a pulseira tratar alguém como mercadoria, até porque controlar todas as visitas através de BI seria impensável e impraticável. Mas seria de todo interessante a existência de um bilhete diário em alternativa à pulseira, algo que está ser equacionado para a próxima edição da Viagem.
Stradi, quanto aos transportes concordo, mas tudo isso tem custos, e até ver são mais os custos que as receitas. Por exemplo, o serviço Transfeira deu GRANDE prejuízo no ano passado. Infelizmente temos uma fraca cultura de transporte público, algo que a crise ajudará a mudar. De qualquer forma acho a sugestão completamente pertinente.
Cptos.

Anónimo disse...

Eu acho que nos passeios a cavalo deviam perguntar as crianças se sabem montar ou nao porque ha quem tenha vergonha de dizer.:)

Anónimo disse...

Eu gostei muito tem bons espetaculos e ha cavalos muito bonitos.

Stradi disse...

Para os que se queixam que 2€ por pulseira é muito, tive conhecimento que em Óbidos se paga 7€ e não tem a qualidade da VM da Feira!

bc23 disse...

Verdade, em Óbidos, com um conceito que não se comparara de forma alguma, o valor do bilhete DIÁRIO é 7€ para o público em geral e 3€ para os trajados. O bilhete para todo o evento (12 dias), correspondente à pulseira da Viagem Medieval, tem um custo de 40€... ou seja cerca de 2000% mais caro.