sexta-feira, 31 de outubro de 2008

Centro de Emprego

Há anos que o assunto se arrasta, mas ao que parece não há melhoras. O Centro de Emprego de São João da Madeira está a "rebentar pelas costuras" e a solução tarda em chegar. Há anos que foi prometido um Centro de Emprego para Santa Maria da Feira, ao que se previa para servir os concelhos da Feira e Castelo de Paiva... mas até hoje nada! A S. João da Madeira recorrem mais de 300.000 habitantes de 6 concelhos, sem que ninguém se esforce por encontrar alternativa.
Ao JN a Directora do Centro de Emprego fala na sua solução... o alargamento do espaço e dos meios humanos... mas que proposta absolutamente fantástica! Temos gente a mais a recorrer ao serviço e vamos continuar a encaminhar o mesmo número de pessoas para umas supostas novas instalações!? Já é tempo de quem de direito se fazer ouvir! Os 150.000 habitantes da Feira são mais que suficientes para justificar o Centro de Emprego... então, onde está ele?

.

4 comentários:

vitor oliveira disse...

Aqui está a resposta para a Mafalda.Na hora de reivindicar não é só blá blá("Os 150.000habitantes da Feira...")são numeros que contam e muito para o desenvolvimento de uma cidade(sim,porque um centro de emprego não ia para Canedo com o aterro).
A verba para as novas instalações já foi atribuida.Desde que realmente tenham condições para receber toda essa gente,não vejo necessidade de construir outro no tal"grande eixo urbano".Ou isso só valia se fosse construido na Feira?
Ainda sobre as mudanças BC23,se queres entender aquela notícia à tua maneira,não tenho mais que te diga.
Quanto ao feitiço voltar-se contra o feiticeiro...olha é bem capaz disso,como se costuma dizer:"desde que vi um porco a andar de bicicleta"...

bc23 disse...

O "grande eixo urbano" não existe, pelo menos hoje!!! Como tal, é preciso dar resposta às populações... ninguém falou em retirar o serviço de SJM, mas de abrir outro centro na Feira, até porque o concelho da Feira sozinho tem serviço suficiente para um.

Mesmo que o "novo" seja suficiente, porquê obrigar 150.000 pessoas a deslocarem-se a um local diferente de todas as suas outras necessidades?
A lógica continua a ser a mesma... os serviços de proximidade e o futuro dirá quem tem razão... podes olhar para os serviços de reinserção social que rumaram a SJM (aquando da criação de uma equipa única para o EDV), mas à primeira oportunidade voltaram à Feira.

Mafalda disse...

Os senhores da Feira andam a dormir! Completamente! E já há verba para novo em SJM?!?!

Alguém tem o número de pessoas que recorrem ao centro de emprego de SJM por freguesia?...

Vitor Oliveira penso que não é difícil provar que um centro em SJM para abarcar com gente de uma área tão dispersa, não é ir de encontro às necessidades da população. Há necessidade de abrir outro nesta zona, muito provavelmente Feira será o mais central. Mas sem fechar SJM - porque não podemos esquecer Arouca... Oliveira Azeméis...

Só uns apartes:
1. Sonhos de Natal promete! O espaço já está identificado.
2. bc23 - escolas pré e primária na Feira - sabes alguma coisa? É verdade que se prepara o encerramento da n.º 2 que passa para a escola que será construída na zona dos Pacionistas?

bc23 disse...

Voltando ao Centro de Emprego, penso que ficou mesmo esquecido pelo Poder Local feirense, até porque há muito que ninguém fala do assunto.
Qto ao eventual novo Centro há muito que se fala... e há cerca de 3/4 anos foi mesmo prometido um Centro para a Feira, cuja localização (para mim errada) se apontava para Rio Meão, nas instalações do Centro de Formação do Instituto de Emprego e Formação Profissional. Entretanto as obras de ampliação avançaram... foram concluídas... o espaço e as novas valências abriram portas... mas de Centro de Emprego nada.
Talvez alguém se tenha apercebido que não seria a melhor localização.

Qto à necessidade de um novo centro na Feira para servir o concelho... é óbvia e nem vale a pena esgrimir muitos argumentos. Basta olhar para o caso Gaia-Espinho... O centro de emprego de Gaia abriu um balcão em Espinho para servir o concelho mais a sul e umas quantas freguesias de Gaia... nem preciso comparar a população de Espinho com a da Feira!!!!
Os dados que vão circulando falam em cerca de 100.000 habitantes para justificar um centro de emprego... com estes números não seria um novo, mas 2! Um na Feira e provavelmente outro em OAZ... o de SJM manteria funções, com nova cobertura geográfica.

Não faz sentido nenhum a situação que se vive em SJM... e ainda falam nas urgências da Feira. Pelo menos as urgências do HSS não foram preparadas para tanta gente, mas do centro de emprego não se pode dizer o mesmo!


___________


Qto à questão das escolas EB1, pelo que sei, o que estaria indicado na carta educativa seria a criação de um centro escolar na zona da cruz (anda alguma confusão entre a Relva e os Passionistas... eu apontaria mias para a Relva, até porque a pré-primária já funciona lá) e com isso o encerramento de uma escola no centro... os dados que me chegaram apontam para o encerramento da nº1, até porque a nº2 tem outras condições espaciais e logísticas... e junta o ensino pré-primário.