segunda-feira, 3 de outubro de 2011

Novo Mapa Administrativo Local

Ainda faltarão 3 meses para a apresentação da proposta de reorganização territorial das freguesias do concelho de Santa Maria da Feira. Mas, atendendo aos pressupostos, podem já fazer-se apostas. De acordo com tudo o que já cá deixei há dois dias, poderá prever-se um mapa a 16 freguesias, veja-se:


Será este mapa, com a aplicação das novas mediadas coerente? Acredito que não. E porque não aproveitar a onda e ser verdadeiramente reformista, aplicar conceito de equidade e resumir a questão a 12 freguesias mais equilibradas?

 
Mesmo, assim, um concelho como o da Feira, sendo consideravelmente mais pequeno, ficaria com mais de metade das freguesias da "nova" Lisboa. Iremos agarrar a oportunidade de nos tornarmos mais urbanos e competitivos? Ou vamos ficar presos a mitos e separatismos ancestrais dos nossos antepassados?

De notar que os mapas apresentados não passam de previsões e opiniões, sendo que nada de concreto se conhece até agora.

NOTA I: incorreção na designação de Escapães corrigida nos 2 mapas.
NOTA II: de forma a evitar mais agressões completamente desprovidas de nexo e fora do âmbito da discussão que se pretendia, os comentários a este post foram desactivados.

71 comentários:

Anónimo disse...

Muito cedo, mas a opção 12 freguesias parece-me a mais coerente.

Carlos Sousa SJM disse...

concordo com a opçao das 12 freguesias... mais ou menos... arrifana e milheiros deveriam transitar para SJM.
Arrifana é uma freguesia urbana de SJM

Anónimo disse...

Escreveste Espargo em vez de Escapães
Arrifana devia passar a SJM, onde já pertence ha muito sentimentalmente

Anónimo disse...

SJM a ver-se a perder o título da "maior" cidade do EDV. Toca a atacar na conquista de Arrifana. tenham juízo senhores, SJM vai ser absorvido por OAZ, isso seria uma verdadeira e justa reforma no mapa do EDV.

Anónimo disse...

sem arrifana ficaríamos com 2 quartéis de bombeiros no concelho!o que eu acho bem, uma vez que cada vez esta associação menos meios possui!

Carlos Sousa SJM disse...

devias postar o mapa no skyscrapercity... para discussão e claro eu mandar umas bujardas.

se fosse por ligaçoes sentimentais nao era so a arrifana eram todas as freguesias em volta e mais algumas... mas Arrifana é a continuaçao da cidade de SJM.

nao percebi a mensagem do anonimo... "sem arrifana... menos um quartel dos bombeiros... acho bem..."
Minha nossa, provavelmente nunca precisou de ajuda... espero que nao venha a precisar... se um dia precisar vai ver que todos sao poucos. acredito que quando fazem o peditorio grande parte da ajuda venha de SJM

Anónimo disse...

Ó malta de SJM, já deram conta que é para cortar. E para começar pelos mais pequenos. Voltem mas é a OAZ que nunca de lá deviam ter saído.
Quanto ao resto acho muito bem que se reorganize o concelho. E não devia ser só unir assembleias locais, mas mesmo fusão de freguesias como o caso de Lisboa.

Pedro disse...

Eu acho bem que se extinga alguns concelhos com poucas freguesias, caso de são joão da madeira, Também aprovo a extinção do Concelho de Espinho!
Eu até iria mais longe, e propunha um Concelho do Entre Douro e Vouga, Tipo Concelho de Terras de Santa Maria! É uma proposta que ficaria no ar!

Joana disse...

Concordo plenamente com a ideia de um único município no EDV, eventualmente incluindo Espinho e porque não Ovar. O concelho ideal terá meio milhão de habitantes.

Carlos Sousa SJM disse...

uuui...
ao anonimo das 12:43
"sjm vai ser absorvido por OAZ, isso seria uma verdadeira e justa reforma do mapa do EDV."



lololololol.... ja nao me ria tanto desde quando o blog forum azemeis tinha vida.
Era o sonho deles, ja viram o orçamento de SJM cair na conta de OAZ era estradas novas,
saneamento, ate se organizavam.


"perder o titulo de maior cidade"... para quem... lourosa? sabes fazer contas?
Mesmo com 5 freguesias SJM tem mais 100 habitantes que a possivel SMF... 5 freguesias

a realidade da maior cidade ve-se fazendo abrir pagina google maps,
escolher visualizaçao "satelite" ou "earth", retirar etiquetas...
agora ve os polos urbanos continuos... esta ai a realidade, mas cada um vê o que quer.


ao anonimo das 17:31
é para cortar mas é na ma gestão de fundos e recursos. nao que SJM seja um exemplo,
mas tem menos que se penitenciar que OAZ e SMF.

Quanto ao pequeno so lhe digo isto... vivi bastante tempo longe daqui e por vezes eram me
apresentadas pessoas por serem da minha regiao e nunca um sanjoanense me foi apresentado como
sendo de OAZ ou SMF mas o contrario passou-se varias vezes... esta ai a nossa pequenez

Bruno Costa disse...

Bem, isto esteve animado durante o dia. Vamos lá com calma, usar argumentos e não linguagem ali do café da esquina.
Espera-se que a discussão, pelo que se prevê, apenas quanto à reorganização das Assembleias de Freguesia (o princípio seria manter a identidade) seja proveitosa e com resultados práticos.
Já a questão dos concelhos é outra. Sendo voluntária, não me parece que haja alterações a esse nível. De qualquer forma, e lançando alguma lenha, eu seria a favor (como passei os 2 últimos dias a escreve no Facebook) de um único município para o EDV. Não teria, ainda, ponderado a questão de Espinho e Ovar, mas preenchem um lote de coerência territorial. Por alguma razão durante muitos séculos a unidade territorial foi a Terra de Santa Maria. :)
Razões: alguns dos principais estudos na área da organização administrativa são unânimes no "range" de 100mil a 500mil habitantes por concelho, com os 350mil como consideração de ideal. Cada um destes com 20 a 40 divisões administrativas de proximidade, por cá as assembleias de freguesia (algo que com a reorganização em curso não deverá divergir muito do ideal conceito para o EDV). Ou seja, embora não me pareça que tal aconteça, pelo menos a curto ou mesmo médio prazo, teríamos um exemplo PERFEITO de aplicabilidade no EDV. Somando Espinho e/ou Ovar, mais ainda. Já para não falar no tão badalado conceito de integridade "do mar à serra".
Estamos muito no início...

Carlos Sousa SJM disse...

A ideia de reorganizar o EDV num único concelho, é aquilo que nunca vai acontecer.
Existem grandes egos que não vão querer perder autonomia e protagonismo ganho, a evolução natural das terras assim o ditou e por alguma razão o conceito "Terras de Santa Maria" hoje resume-se a SMF e mesmo ai vê-se que deveria surgir nova reorganização.
Não percebo por que razão a zona norte do concelho Lourosa/Fiães não se assume e tenta tomar rédeas do seu destino. A meu ver o território seria gerido e de uma forma mais eficaz. Não sou só eu a pensar isso, o presidente da Câmara de SMF já deixou essa deixa uns tempos atrás numa entrevista a um jornal local.

vitor oliveira disse...

Bem, o prazer que me dao as palavras destes anonimos, porque sao de inveja e so se tem inveja dos melhores.
Aqui o objectivo e ser a melhor e nao a maior cidade, mas por acaso, no EDV somos as duas coisas!!!
Quanto a Arrifana, a procissao ainda vai no adro, mas se a sua populaçao desejar a mudança a hora e esta.
Ja a fusao de municipios e como aquele fime cuidado com o que desejas, porque nada vos garante que a maior cidade nao viesse a ser a sede do concelho, ainda por cima estando no centro do EDV e aqui e so aqui existe um forum municipal capaz de albergar um municipio dessa dimençao... por isso cuidado, muito cuidadinho.

Bruno Costa disse...

Relativamente ao modelo administrativo actual não haja dúvidas que haveria vantagens para todos os lados nas divisões. Mas o modelo actual não funciona, é caro, desactualizado e vai contra todas as conclusões internacionais de estudos na área. O objectivo é precisamente o contrário... UNIR.
Como já disse, não me acredito que venha a avançar a tal ideia de concelho mais vasto, a não ser que se venha a aplicar legislação idêntica ao que se está a fazer com as freguesias. Não esquecer que, segundo os modelos mais actuais e com melhores resultados de eficiência, Portugal deveria ter menos de 100 concelhos... pois, parece que temos mais de 300! :P

Pedro disse...

Caro Vitor Oliveira, segundo o que li e me deu a entender, dão prioridade a terras com mais historia, só depois é que vêm outros factores!

vitor oliveira disse...

Desculpem a falta de acentuaçao, mas o meu computador esta com uma virose qualquer.
Pois o que eu entendi foi que as alteraçoes nas freguesias terao em conta a vontade, as ligacoes historicas e de identidade das populaçoes, por isso e que eu digo que se a populaçao de certas freguesias tem vontade e ve beneficios em mudar de concelho, a hora de o manifestar e esta.
Unir municipios, que pelo menos para ja nao esta previsto e que eu espero nunca venha a acontecer, nao ha obviamente criterios defenidos, mas se os paises ficassem presos a factores historicos Lisboa, Madrid ou Brasilia por exemplo nao eram capitais dos respectivos paises.

Bruno Costa disse...

Este programa apenas prevê a reorganização de cada um dos municípios, não há qualquer critério de movimentação. Apenas se fala em "fusão" de autarquias, sendo esses processos completamente voluntários, pelo menos para já.
De qualquer forma, o objectivo base é a redução do peso da administração local e a modernização de um mapa que tem (e perdoem o exagero) quase uma freguesia por rua.
Uma movimentação de freguesias de concelho, sem qualquer fusão de assembleias não cumpre os requisitos base de todo este processo.
Mas uma coisa é certa, na prática, e para além de muitos números, o Documento Verde pouco esclarece. Eu diria que a aplicação da "famosa" discussão pública utilizada em Lisboa será a única solução para a condução plena do processo, que tem apenas 6 meses para ficar completamente concluído.

Antonio Santos disse...

Inveja!?
Bem, eu falaria em complexos de inferioridade da minoria sanjoanense. Se assim não fosse, porque motivo se estariam sempre a comparar e a tentar enaltecer?
E já agora, era tão forte o impacto mental de ter um hotel de nome Santa Maria Park? Aquela "obrigatoriedade" de mudança de nome só mostra o quanto se respeita o peso do vizinho, a sua história e importância.
Quanto ao Google Maps, uma cidade não se mede só pela mancha cinzenta. Felizmente a massa cinzenta também conta e talvez mais!
Vamos lá começar a discutir com seriedade e não como putos birrentos que ao primeiro argumento perdem a razão.

Carlos Sousa SJM disse...

caro antonio santos

tendo em conta que parte do escreveu foi relativo ao que eu escrevi...

nao confunda inveja com alguma indignaçao que é o que me leva muitas a vezes a postar aqui.
Neste caso postei nao por indignaçao mas por bom senso em achar que arrifana terá uma oportunidade de passar
a ser tambem SJM, nao confundir com transiçao de freguesias, se bem que neste caso um implica o outro

"complexos de inferioridade da MINORIA sanjoanense"... o que escreve peca por exagero... lololol
a importancia dada a SMF nao é assim tanta, voces hoje nao conseguem ser aquilo que SJM foi a 80 anos quanto
mais hoje em dia, alias acho que a diferença aumenta.
voce atras queria escrever MAIORIA... lololol

Quanto ao nome do hotel... o nome foi mudado logo nao estou a perceber onde mostramos respeito ou
demos importancia a SMF, ao mudar-se o nome mostrou-se foi respeito por SJM, isso sim.

A evolução e dimensão de SJM mostram onde esta a melhor MASSA.

nao venho para discutir, normalmente argumento com um certo sentido de guerrilha, era engraçado era a
existencia de contra argumentaçao, mas quando nao se é serio, os argumentos tendem a ser inexistentes,
quando demonstramos factos uma vez atras de outra somos considerados birrentos.

Antonio Santos disse...

Caro Carlos, lamentavelmente, no caso do hotel continuo sem ver os tais "factos". Apenas uma tentativa de se tentar auto-exaltar, usando de uma autoridade pouco democrática para levar uma empresa a mudar de planos. O nome foi mudado antes de abertura, sim, caso contrário essa poderia não acontecer. Apelidaria o processo de birra política, apenas.
Quanto a Arrifana, nunca ouvi um arrifanense demonstrar vontade de pertencer a SJM, bem pelo contrário. Apenas do outro lado da fronteira surge uma vontade extrema de ultrapassar a dita, mesmo quando a MANCHA não cobre toda a sua área (e longe disso). Uma vez mais, apelidaria de birra política e puro separatismo. Mas o processo certamente vai falar por si e provar isso mesmo.
Com poucos factos se mostra a diferença da MASSA.

Nimpo disse...

A oportunidade aqui é a de Santa Maria da Feira, São João da Madeira e Oliveira de Azeméis se unirem num mesmo concelho. Imaginem o impacto de poder formar uma cidade com quase 100 mil habitantes, unindo o perímetro urbano da Feira, São João da Madeira e Oliveira de Azeméis! Quantos degraus não subiríamos no impacto nacional? Deixemo-nos de rivalidades doentias, juntos somos mais fortes. Cada uma das cidades tem as suas especificidades e pontos fortes.

Pedro disse...

Nimpo, uma cidade de 100 mil habitantes com SMF, SJM e OAZ penso que não é possível! Para ser uma cidade assim acho que deveriam estar mais juntas! Não sei se me fiz entender!

Nimpo disse...

Percebo o que dizes Pedro, mas ainda assim acredito que seja viável. Há muito que se designa o "eixo urbano do Entre Douro e Vouga" o eixo formado por SMF-SJM-OAZ. Existe uma continuidade de freguesias urbanas.

Bruno Costa disse...

Não tem necessariamente de ser "uma" cidade. Pode perfeitamente ser uma área urbana íntegra, com várias freguesias e 3 centros urbanos independentes. É essencial que haja uma integração e continuidade do espaço urbano (sem "gaps" de urbanidade), transformando as áreas mistas nas freguesias de ligação em área urbana pura.
Muito sinceramente, não me acredito que uma única cidade seja possível (pelas tais rivalidades e para que se mantenha a identidade), mas uma única unidade administrativa (que não precisa de ter o nome de uma cidade, nem mesmo do local que viesse a concentrar os serviços centrais... pura e simplesmente EDV ou outra designação ampla seria unificadora) e um único plano director serão o mínimo para que seja possível ganhar relevo.
O EDV tem TODAS as condições para se transformar numa das áreas urbanas mais fortes do país, mas para tal não é possível continuar a rumar para sentidos opostos.

Bruno Costa disse...

Só mais um pormenor, continuo a acreditar que em termos de município não seriam só SMF, SJM e OAZ a integrar a ideal autarquia do EDV. Vale de Cambra, Arouca, Ovar e Espinho completariam o lote de cerca de 400mil habitantes, para a construção de um concelho ideal em todos os indicadores dos estudos de eficácia mais recentes.

Em termos de unidade de área urbana nestes 3 casos seria bem mais provável do que a eventual continuidade para litoral.

Nimpo disse...

Sem dúvida Bruno. Terá que haver vontade e cedências de todas as partes, deixarmo-nos de inimizades sem sentido. Deveríamos ter orgulho em cada uma das três cidades e concentrar-nos no objectivo de nos tornarmos cada vez mais fortes!

Nimpo disse...

Em relação a Vale de Cambra e Arouca, não creio que fosse positivo para eles a fusão, ao contrário de SMF, SJM e OAZ. São concelhos diferentes, com predomínio rural. Teriam pouca expressão num super-município desse género e os seus interesses seriam absorvidos pelos interesses dos concelhos do litoral. É-me difícil acreditar como isso não acentuaria ainda mais a desertificação e as assimetrias interior-litoral.

Bruno Costa disse...

Nem mais, todos a "remar" para o mesmo objectivo! Oxalá este processo ajude a despertar consciências.

Bruno Costa disse...

Sim, essa perspectiva é correcta. Faria todo o sentido crescer mais para o litoral e não para o interior. Mas na perspectiva da AMP, que Arouca e Vale de Cambra integram, acreditam que não se queiram afastar desta realidade para não "perderem o barco". Tudo depende dos objectivos de desenvolvimento de cada um desses municípios, que, na minha opinião, não tiram vantagens nenhumas da AMP.

Pedro disse...

Não estou de acordo com o Nimpo em excluirmos Arouca e Vale de Cambra por serem mais rurais!
Poderia até ajudar na economia do actual EDV com a sua agricultura!
Bruno, ainda não tinha pensado em Espinho e Ovar, se com estes 5 concelhos já está a dar confusão... Eu talvez diria que Espinho passaria para Gaia (ou Gaia/Porto, pelo que o presidente da câmara de Gaia tem dito), já Ovar, ainda não tinha pensado nisso, daí não ter opinião nenhuma!
Em relação a sede do município, não tem nada a ver a mancha urbana, existem muitos casos que a maior cidade não é a sede, até em capitais mundiais existem casos em que a sua capital não é a maior cidade (exemplos dos Estados Unidos ou Brasil). Gostava que os colegas que aqui comentam pensassem melhor se a mancha urbana interessa!

Bruno Costa disse...

Pedro, na manutenção da separação entre Gaia e o Porto, estaria perfeitamente a encarar a ligação de Espinho a Gaia. No caso da fusão Gaia/Porto já não tenho tentas certezas da ligação de Espinho... e, nesse caso, numa perspectiva de dar dimensão aos actuais concelhos, só restaria a ligação ao EDV. Ligação essa que até se compreende pelas fortes ligações entre Espinho e faixa litoral norte do concelho da Feira.

Quanto à questão da localização da sede administrativa, não será certamente a mancha urbana o maior factor. Desse modo, metade das sedes de concelho do país já teriam mudado. Há imensos factores... como já se falou temos a história logo à cabeça (que por acaso é um factor importante nas características de desenvolvimento; veja-se o caso de Sintra, onde a cidade está ao lado, em Mem Martins)... e discordo totalmente do critério do centro geográfico para esse fim. Se considerarmos o centro demográfico para esse objectivo até poderia concordar, mas apenas como critério de desempate.
De qualquer forma, antes disso, ainda, precisamos de ultrapassar muitas barreiras, especialmente psicológicas.

Pedro disse...

Bruno, nem é preciso ir muito longe, ao ler o teu comentário lembrei-me de Rio Tinto ou Ermesinde, que pertencem aos concelhos de Gondomar e Valongo respectivamente!

Carlos Sousa SJM disse...

acho que ja escrevi aqui que se quisessem realmente fazer uma restruturaçao aqui na regiao o ideal seria:
fundir todos os concelhos do EDV num so.
reduzir as perto de 100 freguesias a umas 20 no maximo 30. numa primeira fase em torno dos maiores polos urbanos ou seja iria-se definir as freguesias cidade depois o processo de fusao seguiria criterios de area populaçao e relacionamento entre fregusias.
A meu ver a sede do concelho seria SJM pois é a mais desenvolvida a varios niveis para alem de ser mais central. Os paises onde a capital nao é a maior cidade sao por paises federados onde a capital foi construida com esse proposito.
no entanto penso que os serviços principais devam estar descentralizados.
OAZ - Palacio da justiça, novo hospital a meu ver em nogueira do cravo
SMF - Fortalecimento do isvouga, loja do cidadao em fiaes
assim de repente nao me lembro de m

Bruno Costa disse...

Carlos, será que SJM é o centro demográfico do EDV?
É que o critério centro geográfico há muito que não se usa, para este fim. Além de que, falando de capitais, haverá muitos exemplos de capitais no centro geográfico do país (ou área administrativa), ou perto dele? :)

O índice de desenvolvimento urbano, numa perspectiva de espaço compacto, até pode ser maior em SJM, mas se lhe retirarmos a densidade populacional não varia de SMF. E se lhe somarmos a centralidade viária, a centralidade da saúde, a centralidade da área educativa, a centralidade judicial, para além de todos os registos históricos em todas estas áreas (já sem contar a história de governação e de centralidade com 5 séculos da actual designação) não me parece que SJM tenha a mínima hipótese nessa pretensão.

Carlos Sousa SJM disse...

bruno... nao escrevi centro geografico em lado nenhum. considero que o nucleo urbano central do EDV é o eixo SMF-SJM-OAZ e ai SJM é central so isso.

centralidade...
- Bem em relação ao desenvolvimento das cidades pelos vistos ficamos entendidos.
- centralidade viaria. tendo em conta que a maioria do trafego nao tem por destino a cidade da SMF ele sera equivalente ao n227+n1 que tambem passa em SJM, logo sao mais um ponto de passgem. Vamos ver como ficam com a A32.
- centralidade na saude, é um facto tudo é reemcaminhado para ai, tudo é cozinhado para os outros hospitais difinhem e enquanto assim for teremos um serviço com grandes tempos de espera. A ser feito um novo hospital como se fala a unica coisa que desejo é que seja independente do da feira, caso contrario sera dinheiro pro lixo.
- centralidade educativa. nao me faças rir a cidade de SJM tem mais do dobro do alunos relativamente a SMF sao perto de 7 mil nos varios niveis. Agora abrir um polo da Universidade Aberta.
- centralidade Judicial. mas ja tem tribunal! esta aqui um belo exemplo da gestao do dinheiro publico por parte vosso concelho. è por esta e por outras que eu acho que os concelhos nao devam ser grandes por forma a evitar obras megalomanas. todos tem a fraqueza de querer meter algum ao bolso ou favorecer certos lobbies com grave dano ao estado sem para isso haja responsablizaçao.
- historia. fizeram o castelo... terras de Santa Maria e tal, novos concelhos foram criados, ou seja, foram ultrapassados por outros. depois existe o antes e o depois da autoestrada. antes, a vila da feira era algo parecido com a arrifana sem os predios. depois da autoestrada sao a 4ª ou 5ª cidade do EDV. A historia so mostra que durante 480 foram uns inertes uma vez que nunca se imposenram industrialmente como as outras cidades. farto de inertes lateiros ando eu... sempre a espera que seja o poder central a fazer algo
- ja agora populaçao flutuante que mostra que é SJM o centro do EDV estudos mostram um valor proximo dos 40 mil valor este que nem de perto é atingido pelas outras cidades muito menos SMF.

Escrevias tu que o mais dificil seria quebrar certas barreiras especialmente as psicologicas... pois... hehehe... em casa de ferreiro espeto de pau

Nimpo disse...

Tambem nao concordo que SMF seja a centralidade viaria. SJM e' o ponto central da regiao, onde uma boa parte do trafego entre as cidades do EDV tem obrigatoriamente que passar. Nao foi por acaso que a Transdev fixou a sua plataforma em SJM. Se quisermos ser puristas na avaliacao da mobilidade na regiao, SMF esta na realidade numa posicao periferica e cada vez mais afastada da restante EDV: tem mau acesso a restante regiao (N223 cada vez mais obsoleta...). Na generalidade, a populacao dos concelhos de OAZ, Vale de Cambra e Arouca chega mais rapido a SJM que Feira. Inclusivamente, varias freguesias de SMF estao mais proximas de SJM que da propria sede de concelho...

Carlos Sousa SJM disse...

movimento M.A.M.A.... acho que alguem queria dizer ou ha mama ou chauzinho feira.

http://www.oregional.pt/pt/newspaper/3382/local/p-ra-sao-joao-da-madeira-e-por-que-nao.html

Antonio Santos disse...

Nem preciso de escrever, os sanjoanenses, por si só, mostram porque vai ser impossível a criação do tal concelho. O egocentrismo há muito que abunda e a falta de capacidade (diria mesmo vontade) de olhar à volta trata-se de tudo menos de virtude.
Assim, nem inicamos negociações, quanto mais fechar acordos.
Numa junção com a Feira ou Oliveira S. João NUNCA poderia ser, por inúmeros motivos, a sede da autarquia. Sonhar faz bem, mas quanto mais alto sonham, maior será a queda. Sejam realistas.

Nimpo disse...

Antonio Santos, nao sao so os sanjoansenses que podem tornar isso dificil, e, se nao consegue encontrar egocentrismo nas suas palavras, acho que nao existe mais nada aqui para debater.

Carlos Sousa SJM disse...

Caro Antonio Santos em relaçao aos seus dois ultimos posts (2º e 3º no historico)


nao estou a perceber qual a sua duvida em relaçao ao processo relativo a renomeação do hotel. O nome foi mudado por recomendaçao da camara que por sua vez recebeu queixas do povo que não achava bem o nome que lhe estava destinado. leia bem o que escreveu no seu primeiro post em que da entender que se mudou nome por respeito a SMF quando o que aconteceu me parece o oposto.
veja o caso do nome do parque da cidade... Parque Ferreira de Castro... eu nao sei se ha alguma ligaçao a Ferreira de Castro mas caso nao exista demonstra pobreza de espirito e falta de respeito por muitos grandes homens e mulheres sanjoanenses que por aqui passaram.
quanto a arrifana voce nunca ouviu, existe um blog relativo a freguesia de arrifana, o "kaskaedeskaska" passe por la de vez em quando e lei alguns comentarios depois retire as suas elaçoes.
fala em processo mas vai haver algum processo? é disso que SMF vai fazer tudo por tudo para que nao aconteça.

3º desde a historia do hospital que temos que ter muito cuidado com acordos feitos.
Quanto ao egocentrismo nao é uma virtude é verdade, mas é uma caracteristica tipica dos lideres que é algo que vossa historia mostra que nao são. Quanto ao resto meu caro é mais... em casa de ferreiro espeto de pau

milheiroense disse...

Como diria o Antonio, está à vista o problema. Os sanjoanenses querem uma emancipação à força, mas o tempo da guerrilha já era. E nem precisam de criar mais movimentos que não existem. Todos os milheiroenses sabem que os cartazes vieram de sjm. Com seria óbvio sentem-se inferiores, mas não será à custa dos feirenses que isso vai mudar.
Na Feira com muito orgulho. Em terra de gente sem escrúpulos, NUNCA!!!

Vocês acham mesmo que algum dia poderiam ser sede de concelho de uma das mais antigas localidades de Portugal. Era como se Gaia fosse a sede do Porto. Tenham juízo!!

vitor oliveira disse...

Pois eu ainda estou a pensar se no final vou assinar como ilheiroense ou arrifanense...
O caso de Sintra nao colhe, porque nao resultou de nenhuma reorganizaçao. E com essa historia de juntar concelhos nao gasto nem mais uma palavra, pois isso e so mais uma santa mania que nao passa disso mesmo.
O Antonio Santos provavelmente nao conhece mesmo nenhum arrifanense, mas sabe pelo menos onde fica Arrifana? Mas se procurar numa ediçao ainda nao muito antiga do Terras da Feira, vaiencontrar uma reportagem que se nao me engano tinha como titulo "o eterno namoro a S. J. Madeira. Terras da Feira, sabe o que isso e nao sabe? E um jornal da sua terra.
Quanto a Milheiros provavelmente os depoimentos no Regional serao por ventura ficticios, inventados la pela redaçao!!!
Sera que este milheiroense tambem paga por um saneamento que ainda nao tem?

Nimpo disse...

A ideia, a fundir os concelhos, era criar um espaço urbano amplo unindo SMF-SJM-OAZ e sob um novo nome unificador. Este conjunto das 3 cidades e freguesias urbanas entre elas seria a sede de concelho. Não haveria predomínio de nenhum delas. Alguns serviços concentrar-se-iam em SMF, outros em SJM e outros em OAZ, tal como já hoje acontece. O resultado seria um concelho com 330 mil habitantes e uma cidade com quase 100 mil.

Antonio Santos disse...

Tenham muito cuidado com os acordos e com as jogadas de bastidores.
Escondam lá o processo do hotel.
Nimpo, tens mesmo noção do ridículo da proposta. Uma sede de concelho com 15Km de extensão. Não tentem limpar os olhos a ninguém.
Essa ideia de crescer à força já irrita... como já se disse aqui, querem ser grandes? Voltem para OAZ!

Antonio Santos disse...

Depoimentos fictícios? Não, são todos originais e nada seleccionados.
Poupem-me, conheço os métodos sanjoanenses de ginjeira. Pessoal de pouca confiança... e o que neste post se pode ler demonstra tudo isso.
É lamentável que um povo não tenha a noção da sua real importância e dimensão. Não se cresce à força!

Bruno Costa disse...

Como seria previsível a troca de palavras não está, até agora, a trazer qualquer solução ou novo argumento. E este era, no íntimo, o real motivo porque eu afirmei e continuo a afirmar que não me acredito que se venha a concretizar nenhuma junção entre estes 3 municípios, embora acredite que fosse positiva para o desenvolvimento da região.

Confesso, não consegui ler na íntegra todos os comentários desde a noite de ontem. Mas não me pareceu que em algum deles se tenha falado do critério internacionalmente mais aceite para este tipo de soluções: o centro demográfico. Em resumo, o ponto que melhor optimiza as deslocações, minimizando as distâncias percorridas em função da densidade populacional das diferentes unidades orgânicas consideradas (neste caso as freguesias).
Embora não haja estudos publicados (pelo menos que eu conheça) quanto ao EDV, há 2 ou 3 anos tive acesso a um esboço (EDV – 5 concelhos), em fase preliminar... e posso dizer que esse ponto não está muito longe de SJM, verdade, mas está bem mais próximo da Feira. Pude ainda verificar que o centro de mobilidade (ao centro demográfico ponderar os tempos de deslocação) fica ligeiramente a norte do centro demográfico.

Carlos, nos parágrafos que escreves, nada de novo se pode ler daquilo que vimos discutindo nos últimos anos. Continuamos com visões muito diferentes das duas cidades... e, obviamente, não concordo com o que apresentas:
1) Desenvolvimento: entendidos, equivalente;
2) Centralidade viária, sem qualquer dúvida. Na Feira tens acesso a 3 auto-estradas, uma delas, por sinal a mais próxima, com acesso completamente directo à capital do país; SJM fica apenas com acesso directo à A32, que apenas facilitará acessos a norte;
3) Saúde: lamento, mas estás enganado. O novo hospital será um apoio ao S. Sebastião nas áreas das medicinas, cirurgia de ambulatório e consulta externa. No contexto actual da minimização de custos das unidades hospitalares o objectivo é a criação de grandes centros, que, em paralelo, tiram partido da especialização, beneficiando, em última análise, o utente; e nesse sentido, o HSS terá, inclusive, de ser ampliado;
4) Educação: SJM até pode ter mais alunos no ensino secundário do que a Feira, fruto de um empenhamento político há 2 décadas, que conseguiu centralizar 3 estabelecimentos de ensino, em detrimento da descentralização dos mesmos. Aqui, sim, não faz sentido a existência de espaços lado a lado; Mas que cidade escolheu, também há 2 décadas, o Ministério da Educação para instalar os serviços regionais e o centro de formação de professores? Não foi SJM; sabes o que é a Universidade Aberta? Tens a noção de que não há aulas? Ou seja, a movimentação para a cidade serão apenas os exames;
5) Justiça: não falamos de uma questão de instalações. O Tribunal continua lá, de pé e bem firme. E, atendendo à época dos acontecimentos e ao facto de nada se ter iniciado na Feira, continua viva a teoria (a meu ver, cada vez mais válida) de que tudo não passou de um bluff de alguém que queria a sede da Comarca do EDV em “sua casa”. Felizmente o programa piloto, salvaguardando a «história judicial da cidade de Santa Maria da Feira e a longa tradição na área», assegura a mesma para esta cidade;
6) História: só castelo? Quanto a isso só te posso aconselhar a leitura de mais livros de história. E se quiseres, a própria Viagem Medieval também te pode ajudar; Quanto à auto-estrada, sim, mudou o curso de desenvolvimento. Sem ela, como sabes o que se iria passar? Neste campo também te posso fazer uma pergunta simples e MUITO mais recente que a história de vários séculos da Feira: se SJM não se emancipasse de OAZ, como seria hoje?
7) População flutuante: na Feira são 10mil abaixo de SJM, o que representa 300% da população nocturna… em SJM será de apenas 200%. Afinal qual das cidades tem maior taxa de atracção diurna? Há muitas formas de ler os números e as directas raramente são as melhores.

Bruno Costa disse...

Nimpo, «Não foi por acaso que a Transdev fixou a sua plataforma em SJM»? Pois não, vamos ser «puristas na avaliação»: a Transdev escolheu SJM porque encontrou um bom negócio. A CMSJM tinha um espaço obsoleto e subaproveitado e, tenho de reconhecer que muito bem, tentou a fixação de uma empresa. Será que foi a opção correcta? Ficam as dúvidas, deixo os factos: a verdade é que com esta posição a Transdev está a apresentar IMENSAS dificuldades em prestar um adequado serviço na cidade que representa mais de metade da ocupação dos autocarros na sua principal rota, a Feira. A gestão, mesmo que a curta distância, está gerar uma onda de descontentamentos, que já gerou pequenos protestos. Não fosse o povo da Feira MUITO pacífico e já terias visto manifestações de calibre. De qualquer forma, com os factos das últimas semanas e o agravar do estado de “nervos” certamente a questão vai mudar.
Quanto à centralidade viária, o ponto 2 da resposta ao Carlos também explica a minha opinião.
Apenas uma nota para a questão da EN223. Sabes que partilhamos opinião sobes mas, se, de facto, representa um obstáculo para as deslocações do interior à Feira, o mesmo critério tem de se aplicar em sentido contrário e o somatório da população dos outros 4 concelhos é ligeiramente inferior à população do concelho da Feira. Afinal de contas, em qual das posições o benefício é maior?

Mais uma nota, que acaba por lançar mais lenha para esta fogueira, a minha opinião de feirense (e partilhada por TODOS os feirenses com quem partilhei ideias nos últimos anos) é simples: uma junção com perda de identidade de sede de unidade territorial só para alguém com mais história… e isso, na nossa região, só se verifica com o Porto. Daí que esta discussão de qual a maior cidade não faça qualquer sentido, até porque esse nunca foi e nunca será critério de nada. Além do critério número um, a história e a tradição, teremos a considerar o centro demográfico (efectivamente dentro dos “novos” limites da cidade feirense) e, eventualmente, o centro de mobilidade (ligeiramente mais a norte, também ele dentro dos limites da cidade feirense.

Nimpo disse...

Sim é verdade, a Feira não tinha (nem tem hoje) nenhuma central rodoviária que pudesse servir de base à Transdev realmente. Não poderemos adivinhar o que teria acontecido se a Feira dispusesse dessa infraestrutura, mas verificas no mapa esquemático da rede verde (http://3.bp.blogspot.com/_zq4OWdwQMLQ/SJrXoXxRQlI/AAAAAAAAADM/7OMFB0zF5sM/s1600-h/Cartaz+Diagrama_RV_300.jpg) que SJM é o local central de onde divergem a maioria das ligações existentes, e é a única cidade do EDV que tem ligação directa a todas as outras e a Ovar. Não sei a evidência que esse estudo utilizou, mas recordo-te que, para além das populações de OAZ, VC e Arouca, várias freguesias da Feira estão mais próximas de SJM que da Feira. Acho difícil conceber que a Feira, estando no extremo ocidental do EDV (agravada ainda pela péssima via de ligação ao restante EDV) seja a cidade mais central.

A perspectiva de "os outros terem população ligeiramente inferior à Feira" e por isso a Feira é que deve mandar não será um pouco totalitarista e segregante? : D Um concelho único no EDV não se faria sem cedências de todas as partes... Da mesma forma que vocês legitimamente não aceitam perder a sede de unidade territorial (também acho que seria um disparate), SJM também nunca aceitaria ser dominado por vós. SJM é uma cidade a sério. Para desejarem ser capital de um concelho único, vocês teriam que amar os outros concelhos do EDV como se amam a vós mesmos. E revelam estar longe disso.

Bruno Costa disse...

Nimpo, ao último parágrafo tenho de admitir toda a razão, mas aplicado às duas partes e não apenas à Feira. São guerras muito antigas, que os anos se encarregaram de cicatrizar. Exactamente as mesmas que fazem com que a situação com OAZ seja exactamente a mesma.
A abordagem da tentativa de crescimento de SJM, até à ma década atrás não foi minimamente pacífica, daí que consigas encontrar de parte a parte "ódios" quase clubísticos. É esse o motivo que me leva a não acreditar que este projecto (de todo interessante) se venha a concretizar. Se juntares a população de SMF e SJM para negociar algo do género ninguém irá ceder.
Seria mais fácil juntar Feira e OAZ do que os 3. :P

Quanto ao estudo, como te disse, era um esboço, não me chegou o final. Mas a metodologia é simples, baseia-se num algoritmo de simulação, com o objectivo de minimização da distância percorrida, ponderado ao peso populacional de cada unidade administrativa. E essa conclusão facilmente se percebe. Apesar da Feira ser ocidental e de algumas freguesias da Feira estarem mais próximas de SJM isso não impede tal facto. Como sabes o peso da população do concelho feirense está a norte e o interior do EDV é muito pouco povoado. Ou seja, a ponderação ao número de pessoas que necessitam de percorrer a distância (através de equações matemáticas demasiado evoluídas para o meu conhecimento da área) vai originar um ponto em que se obtém a menor distância média para o maior número de habitantes.
Como previsível esse ponto está a nascente da Feira, mas pouco ao lado (Sanfins). Bem, com a previsível reorganização, acaba por ficar completamente dentro da Feira. :P

Bruno Costa disse...

Quanto à questão da Transdev, esse esquema não explica tudo. As rotas são mistas, ou seja, os autocarros com início de marcha no Porto não terminam a sua marcha em SJM (a grande maioria). De facto, continuam para Arouca, VC ou OAZ.
Por outro lado, SJM apresenta-se central nesta conformação de rotas da Transdev, já que se somarmos os outros operadores do EDV a coisa muda de figura. :)

Carlos Sousa SJM disse...

"carlos, nos paragrafos que escreves, nada de novo se pode ler daquilo que vimos discutindo nos últimos anos"
ainda bem que mantenho a minha coerencia

1) "Desenvolvimento: entendidos, equivalente;" hehehehe... bricalhao... quase que passava...
onde escrevi que era equivalente, nem parecido que é outra coisa

2)certo... acho eu

3)se vai ser como dizes espero que nao façam nada, mal por mal fica como esta,
os hospitais existentes prestam um serviço mais local e nao se gasta dinheiro

4)nao é so secundario, primario, pre-escolar. Sei como funciona de grosso modo a Universidade aberta,
ha aulas acho é que podes aceder a elas a partir de casa. o que muitos fazem é irem para as salas
predistinadas aos cursos para poderem fazer os trabalhos. Sei tambem que retirou alguns alunos ao isvouga.

5)escrevi o que escrevi so para chatear. explica la essa historia que alguem queria a sede da Comarca em "sua casa"

6)A historia vale pouco serve para encher livros e retirar elaçoes com erros cometidos mas esses ninguem
escreve logo aprende-se pouco. quanto a futurulogia relativa a um passado paralelo bem muito se poderia escrever.

7)engraçado que um erro de escrita da minha parte leva a umas contas fantasticas da tua... la estas tu outra vez.
o que escrevi da entender que populaçao flutuante de SJM é de 40 mil e nao que era isso que dizer. queria dizer que
devido a populaçao flutuante a populaçao total em sjm chegaria as 40 mil.
tu feito lateiro nao vais de modas descontas 10mil a populaçao flutuate e depois lanças percentagens á ministro das finanças,
com que entao a populaçao flutuante de SMF é de 3o mil habitantes... ai bruno bruno...

Bruno Costa disse...

ai Carlos, Carlos... mantenho todas as letrinhas... a realidade está à frente dos olhos, mas parece que não a queres ver... :P

Nimpo disse...

Lol não existe razão para que não nos possamos todos entender : )

Em relação ao estudo Bruno, aceito os resultados, acho válido terem chegado a esse resultado, mas, com mais valor que a distância percorrida seria o tempo percorrido, e aí duvido que a centralidade ficasse para os vossos lados : D

Em relação às guerras, efectivamente existe culpa em ambas as partes. E não digo que no passado o presidente de câmara anterior de SJM não tenha sido precipitado e impulsivo na abordagem ao crescimento. Mas hoje temos outro presidente (vocês é que não : D). Em relação a essa matéria, efectivamente acho que SJM não autoridade moral para aliciar freguesias vizinhas sem conversar primeiro com a sua sede de concelho (como já disse o Castro de Almeida). Mas também me interrogo, como cidadão e ser humano, se a população de certas freguesias à volta de SJM não poderiam ter hoje melhores índices de desenvolvimento humano e qualidade de vida.

Bruno Costa disse...

LOL, eu duvido dessa perspectiva. No entanto, é uma dúvida válida e uma abordagem que pode ser tida em conta com as populações. SJM tira muitas vantagens de ser freguesia única, sem o problema da distribuição de verbas. O facto de haver simplesmente mais duas ou três mudaria muita coisa nessa distribuição... e das duas uma, ou perderia a cidade, ou essas freguesias continuavam na mesma... ou, ainda, perderia a cidade e as outras continuariam na mesma. :P

Quanto ao estudo, também já escrevi algures que incluía a conclusão do que designaram de "centro de mobilidade". Em que basicamente ao centro demográfico ponderaram o tempo das deslocações. E a conclusão foi uma ligeira deslocação... para NORTE.

vitor oliveira disse...

A santa MANIA da feira das grandesas faz-me logo lembrar do falido elefante branco que e o europarque e da prometida exponor...
Pois ate me custa a crer que entre duas sedes de concelho tao dinamicas, empreendedoras, com tanta historia, etc, uma pequena freguesia tenha conseguido em menos de um seculo ser a imcomparavelmente maior cidade das tres!!! Ha historias longas que sao boas para adormecer crianças e ha outras de sucesso, que e o nosso caso.
So espero continuar a sentir este "complexo de inferioridade" e que voces continuem a desejar "voltem a OAZ" que isso e muito bom sinal.
O Antonio, ja sabes o que e Terras da Feira? Sera que os depoimentos que eles publicaram tambem sofrem do mesmo mal?
Ja vou dormir mais descansado por teres decidido nem sequer negociar.

Antonio Santos disse...

Ó S. João da Perfeição toma lá conta das tuas gentes, dá-lhes as lições que bem precisam e livra-nos, a nós, a malta das grandezas com "z", de mentalidades centradas em si mesmo.
Fica a pequena oração de pau carunchoso, para que as almas complexadas e com infinita inveja dos "elefantes brancos" possam viver em paz, com a sua eterna dinâmica e empreendedorismo do arco da velha. Ámen.

Carlos Sousa SJM disse...

Mantens todas as letras... o problema nao sao as letrinhas so os numerozinhos.... hehehehe... vou-te poupar a uns lirismos

conta la historia que alguem queria a sede da Comarca em "sua casa"... isto de lançar boatos faz-me lembrar a psicologia barata

Carlos Sousa SJM disse...

Caro Antonio Santos.

Voce esta a rezar a São João da Madeira! nao sabia que SJM era santo. Ao menos pede para se livrar do egocentrismo, acho que é uma pedido razoavel mas tome cuidado pois a penitencia pode ser grande dada sua situaçao... lol

escreve com emoçao... nota-se... "eterna dinâmica e empreendedorismo"... nao se vê mas estou comovido.

Agora se se olharmos para a realidade em SJM:
- casa das artes e do espectaculo estao na ultima fase pelo que da a entender.
- Expandiram o centro de saude
- expansão do CET em andamento
- Obras da Oliva Creative Factory em andamento

E voce que tem a dizer sobre a sua terra... pois voce é dos que reza e espera que alguem faça algo por voces.

Antonio Santos disse...

Carlos, por SJM rezam os sanjoanenses, porque dos fracos (de SJM) não reza a história.

Algo sobre a minha terra, claro que sim, sempre em evolução e sem olhar para o lado, ao contrário de outros:
- via circular em obra;
- concurso para a nova escola em curso;
- ultimos preparativos para o concurso da caixa das artes;
- edifício principal do FeiraPark em funcionamento, com a segunda fase em marcha.

Sejam felizes fechados dentro do vosso mágico mundo virtual.

Carlos Sousa SJM disse...

Caro Antonio Santos

Para mim projectos, projectos em concurso valem zero. É um ideia que tenho pois enquanto nao houver obra em andamento podem sempre acabar em nada... espero que consigam a caixa das artes e que o projecto nao leve mais cortes.

quanto aqui ao NOSSO mundo virtual vou mandando umas postas se quiser responder melhor ainda

Antonio Santos disse...

Caro Carlos, uma vez mais prova a distância a que vivem da Feira. Limitei-me a apresentar factos e não "projectos". Obra!? A via circular está em obra. Mais obra!? A nova escola está com concurso de execução a decorrer. Feira Park aberto e com a segunda fase a avançar para a envolvente. Caixa das Artes, 8 milhões € já cá estão... não tenhas dúvidas, a Caixa vai sair do embrulho e mais cedo do que muitos esperam.
Podes continuar no teu mundo virtual, e como muito se diz por aí, contra factos não há argumentos.
Facto interessante e digno de nota, quando se tenta discutir algo com pessoal de SJM tudo acaba em comparações. Com pessoas de OAZ, Ovar, Espinho e tantos outros locais é possível manter a linha de raciocínio de forma interminável. Porque será?

Quanto à oração, podes chorar de comoção à vontade, talvez ainda precises muito dela para continuar a manter as comparações. Olhem para dentro de faz favor!

Bruno Costa disse...

LOL... Carlos, se preferires posso dizer caracteres, em vez de letras... :P
Quanto ao lirismo, em tempos já o disse, a ópera não é o meu estilo musical favorito. :)

vitor oliveira disse...

Antonio, Antonio
Com z ou com s, a santa mania continua...
Nao e so do elefante branco falido que eu tenho inveja, tambem tenho inveja da exponor, do shopping que iria ser o maior da regiao, da loja do cidadao que iria ser muito maior e mais completa do que outras, do nao sei o que de artes de rua que agora vai ser uma caixa das artes e qualquer dia nao vai ser nada, do vosso tribunal (parece que a tramoia nao funcionou), que se negou a cair,
enfim nem vou pensar em mais nada senao a raiva acaba por me consumir.
As comparaçoes começam a deixa-lo sem argumentos e por isso acha que nos deviamos deixar disso.
Ja agora experimente dizer a essas pessoas de outras cidades algo que se compare ao que disse sobre SJM, "voltem para OAZ..."e vai ver como eles ate lhe atiram beijinhos.
Ja agora fica o convite, traga a maquina fotografica e venha visitar (bem voce nunca mais vai falar a um sanjoanense do Feira Park) o edificio da Sanjotec e as obras do nucleo D&d, a nova Escola c+s (que ja esta pronta e e unica no pais, ou seja nao ha nenhuma igual), a Casa das Artes, a Oliva Creative Factory e pode ainda dar uma volta pelo 8ª Avenida euquanto o vosso shopping nao esta pronto...vai ver que se calhar ja nem quer sair daqui.

Antonio Santos disse...

Vitor, acabou de dizer tudo: a raiva! A raiva de muitos sanjoanenses, felizmente não todos, em querer ser mais à força. Mas não passam daquilo que são. Fiquem com as vossas obras de arte, que eu cá fico com as minhas, na minha visão, bem melhores.
E fica o alerta, uma cidade não se mede pela imagem... não se esqueça que normalmente por detrás de uma bela fachada está algo oco e sem conteúdo.
Como sempre, os sanjoanenses não sabem viver em sociedade e, por isso mesmo, estão muito bem no seu mundinho à parte, onde tudo é perfeito, mas só para 20mil pessoas.
Quanto à visita, obrigado, prefiro rumar a norte, onde as pessoas sabem viver em sociedade, partilhando virtudes e diferenças. Pena que de SJM raramente veja uma atitude dessas.
Como se diria hoje no parlamento, tenham juízo!

Só parar terminar, os argumentos estão à vista, em dezenas de comentários. Já da vossa parte continuo a ver sempre o mesmo... ataque, comparações, auto-exaltação... sabem que os maiores avaliadores são os externos e não os de dentro.

milheiroense disse...

esta malta de são joão não tem a mínima noção do ridículo
shopping, queres que te relembre o processo? é pública a jogada da autarquia. mais, sabes que a Sonae há muito que admitiu a falha de localização (que chamou de flop)?

Anónimo disse...

olha o azeite marca SJM a escorrer nos comentários

Anónimo disse...

aaahhhhhhhhh
tramóia no trbunal, vinda de SJM
aaaaahhhhhhh
Europarque falido? que eu saiba é a AEP, mas o equipamento já cá está e com muito fruto
aaaaahhhhhh
loja do cidadão ia ser? vai!
aaaaaaahhhhhhhhh
não sei quê do quê... antes de ouvires falar da Oliva Factory deserta ainda vais ver a Caixa em actividade plena
aaaaahhhhhhhh
shopping? sabes que a empresa holandesa quase faliu? só não deves saber que uma coisa: o projecto não morreu, ao contrário do negro futuro do shopping do chapéu
aaaaaaahhhhhhhh
queres mais argumentos???

olha a inveja outra vez!

queres ma vacina para a raiva?
sobrou um bocadinho da última que dei ao me cão...
LLLLOOOOLLLLLLL

Nimpo disse...

Ilustres amigos, estas trocas de acusações e insultos só nos tornam a todos mais fracos e mesquinhos... Todos nós temos culpa aqui, faltam-nos a todos humildade.

Como sanjoanense, apelo aos meus conterrâneos que se lembrem da nossa história de trabalho e humildade, de perseverança e determinação. Inspiremo-nos nestes ideais. De homens e operários como o meu avô que dedicaram a vida a trabalhar por São João da Madeira, fazendo de um nada a cidade que temos hoje. Recordemos e sejamos inspirados pelo exemplo de 1923, em que os sanjoanenses construíram, pelas próprias mãos, entre outras coisas, o primeiro hospital regional (que agora vive ameaçado).

Perdoem-nos os ilustres amigos feirenses se ofendemos a vossa dignidade. No entanto, desculpem-me dizer isto mas, tudo o que existe em São João da Madeira foi conquistado com muito esforço e trabalho - nada nos caiu do céu. O nosso desenvolvimento deveu-se ao trabalho. Essa é a nossa história e o ideal das nossas vidas. E se, sozinhos, conseguimos este desenvolvimento, foi precisamente por saber viver em sociedade. O sanjoanense conhece bem toda a sua região - do Furadouro a Alvaranga, de Canedo a Pinheiro da Bemposta.

Santa Maria da Feira é um local com história e com tradições seculares. Não tenho qualquer dúvida que a generalidade dos sanjoanenses tem afecto pela Feira e faz uso da vossa cidade.

Por favor, deixemos de nos atacar mutuamente. Tudo isto é demasiado triste e desanimador. Somos cidades diferentes, com identidades distintas, e por isso mesmo, cidades que se complementam. As duas cidades, juntas, são muito mais fortes que cada uma, por si só. Não tenhamos dúvidas.

Bruno Costa disse...

Bem, a manutenção da linguagem menos própria das últimas horas obrigar-me-à a fechar os comentários deste post.

Carlos Sousa SJM disse...

apenas um desafio...
demonstra-nos com numeros os 30mil de populaçao flutuante isto atendendo que mantens os numeros e precentagens atribuidos a SMF apesar da minha correcçao em relaçao a SJM

eu relaçao ao centro do EDV aquilo que escreveste deu-me uma ideia... vou ver se arranjo as coordenadas do centro geografico de cada freguesia (+-)...
calcula-se o somatorio das distancias de cada ponto aos outros e a freguesia com o valor menor sera o centro geografico...
depois arranjar a melhor forma de ponderar esses valores com o valor da populaçao de cada freguesia...
e se possivel, um nivel acima tentar relacionar a freguesia mais as freguesias circundantes correlacioonado com essa distancia

acho que deve dar um panorama minimamente aproximado da realidade

Anónimo disse...

E aos outros caiu do céu?
É com esforço que se faz obra, mas não é só para os sanjoanenses. Sempre que alguém escreve, logo se mostra o que vai por dentro.
Isso é apenas mais uma prova que SJM só sabe olhar para si mesmo, sinal de enorme falta de respeito por tudo o resto.
Como querem crescer se não sabem respeitar os outros? Como se querem unir se não conseguem ter a noção da realidade que vos rodeia?

Além de que não percebi porque raio os sanjoaneses adoram meter o bedelho em assuntos alheios (acho que neste post leio a reorganização do concelho feirense), mas se alguém fere a vossa supra dignidade, acima de tudo o que é humano, cai o Carmo e a Trindade.