sexta-feira, 7 de outubro de 2011

Portagens da A32

Como se previa, a A32 apresentará valores de portagem acima daquilo que se esperava. A viagem entre Santa Maria da Feira e Vila Nona de Gaia ficará mais cara 0,70€, comparativamente com a A1.
O acesso ao norte do concelho, consoante o nó, varia entre os 0,50€ e os 0,85€, o que certamente não será convidativo a que a nova via seja utilizada em alternativas às estradas nacionais e regionais.

Feira [Pigeiros] » Oliveira de Azeméis – 0,95€ 

Feira [Pigeiros] » Gião/Louredo – 0,50€ 

Feira [Pigeiros] » Canedo – 0,85€ 

Feira [Pigeiros] » Gaia [Olival] – 2,00€

5 comentários:

Carlos Sousa SJM disse...

Com estes preços esta A32 saiu-me uma valente zerada... assim acho que nao vao ter muitos utentes a diferença em dinheiro é grande.
Se o semaforo em sanfins desaparecer penso mais dificil sera a angariaçao de utentes na A32.

Nimpo disse...

É verdade, 21,5km na A1 (o percurso na A32 entre o IP1 e o nó de SJM) não têm um custo de 2€, a forma como calcularam estas taxas de portagem é vergonhosa. Parece que, para além dos 0,067€+23%IVA por km, houve um imposto extraordinário por km que a concessionária acordou com o governo. Apesar de tudo, o percurso entre SJM e Gaia nunca seria muito mais barato sem esse imposto extraordinário - seria entre 1,75€ a 1,80€. Para além deste imposto, existem outros precedentes, como o facto de os primeiros 7m da A29 (que se inicia na mesma zona do IP1/A20) não serem portajados, ao contrário do que se passa na A32, servindo esta economicamente mais desfavorecidas. Muita tinta ainda há-de correr pela aplicação de taxas de portajamento mais justas na A32. Apesar de tudo, é uma grande vantagem para SJM não estar mais dependente da N223 para as deslocações ao Porto, e ter ao dispor uma via que permite chegar em menos de 20 minutos ao Porto caso seja necessário. :)

Anónimo disse...

Se esta auto-estrada tivesse portagens mais baratas, a alternativa a N223 deixaria de fazer sentido pois a maioria do transito seria desviado para a A32.

Carlos Sousa SJM disse...

diz-me uma coisa nimpo esse imposto extraordinario é ad eternum ou so durante algum tempo.

quanto ao valor em causa se quisermos associar um valor ao tempo perdido devido ao cruzamento do semaforo dependendo da hora pode compensar ir pela A32.

Nimpo disse...

Oi Carlos, esse imposto parece que seria ad eternum sim. Para o eliminar, o Governo terá que renegociar com a concessionária um novo contracto, nomeadamente estender o período de concessão.

Eu creio que em horas em que o caos prevalece na N223, acabará por ser compensador em relação à A1. Não apenas em relação ao tempo de chegada ao Porto, que poderá passar a quase metade, mas também os próprios gastos no combustível. Não esqueçamos que o pára-arranca do semáforo eleva o gasto médio da viagem, uma parte dos 0,70€ são gastos no semáforo e tráfego da N223.