domingo, 11 de janeiro de 2009

10 Dias | 10 Abordagens Prioritárias para a Cidade (10º)

O Krónikas Feirenses volta a olhar para a cidade. No início de 2009, triplamente ano de eleições (europeias, legislativas e autárquicas), decidi classificar, segundo o meu entendimento, as principais necessidades da cidade. De todas as eventuais carências, escolhi 10 pontos. Para cada uma destas abordagens relativamente à cidade irei debruçar-me sobre as necessidades de investimento dos próximos tempo, sendo que na grande maioria me refirirei a grandes carências, essenciais para o desenvolvimento sustentado.
Ao longo dos próximos 10 dias, por ordem crescente de importância irei escrever sobre cada um dos 10 pontos seleccionados... para começar ficamos pelo 10º ponto da lista... o DESPORTO.

Considero que na última década se tem feito um excelente trabalho a nível da formação desportiva no concelho. Não só à custa da autarquia, mas essencialmente das dezenas de associações e mesmo pelo envolvimento da comunidade escolar. O desporto assume-se cada vez mais como uma das prioridades das camadas mais jovens da sociedade... mas não devemos pensar só em ginásio. A aposta em desporto colectivo deve estar à frente.
Actualmente a cidade assiste ao crescimento de um dos maiores centros de formação de futebol do país, onde centenas de crianças e jovens correm em busca do seu sonho. O trabalho do CD Feirense é de louvar a este nível, mas nunca será demais continuar a investir, ao mesmo tempo que se reforce a presença de outras modalidades. As Piscinas Municipais têm reforçado em muito a sua oferta, não sendo hoje um mero espaço de aprendizagem de natação concencional. Os ginásios municipais e os "Studio" que existem em paralelo reforçam em muito a oferta. Mas não faltam projectos que a concretizar-se poderão transformar Santa Maria da Feira numa referência a este nível:

- a prioridade absoluta será retirar o obsuleto Estádio Marcolino de Castro do centro da cidade. Não será somente pelo sua inutilidade nos dias correntes, mas essencialmente para que a cidade possa contar com um espaço de maior qualidade, que para além de futebol possa albergar outro tipo de eventos, com maior comodidade para o público. Não será certamente missão da autarquia pagar o estádio ao CD Feirense, mas pode sempre dar uma ajuda na resolução do impasse que leva à demora na transferência para Sanfins;

- a criação do centro de formação desportiva da Fundação Técnica e Científica do Desporto, projectado para Espargo, será a maior contribuição para o desenvolvimento desportivo do concelho. O projecto anuncia-se como uma escola de nível secundário, vocacionada para a formação técnica em desporto, sendo pensada a evolução para nível universitário. A cidade desportiva da FTCD será composta por pista de atletismo de 400 metros, pavilhão polidesportivo, complexo de ténis, piscinas olímpicas, salas de aulas, edifício administrativo e de serviços, dormitórios e uma área verde envolvente. Neste processo, mais uma vez, não será a autarquia a responsável, mas muito pode fazer para que se torne realidade mais rapidamente;

- a modernização das piscinas municipais, com a criação de espaços de SPA e saúde permitirão uma melhor rentabilidade financeira e aproveitamento do espaço;

- a tradição do ciclismo é, de há muito, grande em Santa Maria da Feira. A criação do Velódromo Nacional em São João de Ver foi já muito falada. Mas ao que parece terá morrido... seria uma excelente oportunidade de diversificação de modalidades;

- os pavilhões municipais (Lavandeira e Arrifana) precisam de modernização. Embora sejam pavilhões desadequados às necessidades de eventos de grande projecção, serão sempre de grande utilidade a nível da formação, especialmente pela sua proximidade da população envolvente;

- o complexo de ténis da Lavandeira deverá ser adquirido pela autarquia e integrado na gestão do pavilhão, de modo a ser modernizado, potenciando a criação de hábitos desportivos a este nível;

- por último, a parte mais difícil. Certamente que toda a gente se recorda do primeiro projecto do Europarque... aquele de 1991/1992. Nessa altura anunciava-se uma segunda fase do projecto, com um grande Pavilhão Multiusos. Na altura o projecto permitia uma audiência de 10.000 pessoas nas bancadas convencionais, sem contar com eventuais extensões mediante o tipo de eventos. Já que o projecto tem sido arrastado... e não se encontra anunciado para a próxima fase de expansão do Europarque, porque não a autarquia entrar em colaboração com a AEP e construir o pavilhão em parceria, nem que seja de dimensão um pouco mais reduzida. Este projecto traria vantagens desportivas evidentes, mas também a nível cultural, uma vez que colocaria o Europarque definitivamente na linha da frente para a recepção de grandes eventos na zona do Porto.

Esta é então uma análise superficial, pouco exaustiva e sem contrasenso, que pode sempre chegar pelo blog, daquilo que se pode e deve fazer a nível desportivo na cidade... amanhã, mais uma abordagem das necessidades prioritáricas de Santa Maria da Feira.

11 comentários:

Pedro disse...

Tendo já praticado ténis na Lavandeira, as minhas queixas são MUITAS.
1º Mau estado dos campos;
2º As cadeiras de juiz, desapareceram;
3º As cadeiras para os atletas, apareciam sempre partidas;
4º As redes estavam cortadas, vandalizadas.
5º Falta de iluminação;
6º Humidade aonde não dá sol, e ficando assim o piso escorregadio, tendo os tenistas algumas lesões devido a isso!
Uma sugestão para fazer a modalidade crescer a sul do concelho, porque a norte já tem umas instalações razoáveis em Paços, Campos novos e cobertura de outros, exemplo de Espinho.
Quanto ao resto não me pronuncio porque desconheço de grande parte das coisas.

bc23 disse...

Pelo menos mais alguém que acredita que o ténis tem muito para crescer em santa Maria da Feira.

Mafalda disse...

Desculpem mas eu sou muito mais básica...

A forma de criar hábitos de desporto (saudáveis) à população começa na escola. É aqui que se têm resultados verdadeiramente abrangentes.

A minha prioridade absoluta é criar condições nas escolas pré e primária para a prática do desporto.

Não sou muito exigente e dou duas opções:
- criação de condições de transporte e pessoal para acompanharem as crianças a um espaço adequado
- criação de polivalentes (não é preciso nada xpto... bastava uma sala com piso adequado para a prática de desporto e equipamento).

Sabiam que... na EB1 n.º 2 e Pré a Câmara disponibiliza por semana ginástica para os miúdos? Sabiam que... não há nenhum sítio digno para a sua prática a não ser no recreio!? (e quando chove?.... fazem-no em piso de mosaico...) Sabiam que há falta de equipamento? Não há colchões, bolas....
E a uns metros das piscinas, que têm studios.......

Isto é barato, daí que cá vai uma outra prioridade:
- um pavilhão decente na cidade

E por fim, futebol não é prioritário, porque:
- já se fez imenso nestes anos com a criação das escola
- o dinheiro não dá para tudo e muito concretamente o que se ganha com a deslocação do estádio? Mais espaço no centro da cidade? E depois? As pessoas ganham como?

Importante e uma das função de todos as instituições que nos governam é garantir IGUALDADE DE OPORTUNIDADES A TODAS AS CRIANÇAS - diluirem desigualdades económicas de forma a que o seu desenvolvimento não seja "amassado" pelo sítio onde nasceram.

Estou sempre a falar das primárias e pré. desculpem. Mas o atraso é tão grande que têm que ser encarado como A PRIORIDADE ABSOLUTA.

Isto na minha opinião....

Pedro disse...

Cara Mafalda, infelizmente, todos as escolas de Norte a Sul do país têm carências a nível desportivo. Já tive oportunidade de estagiar numa escola na cidade do Porto, e vi que as carências a nível desportivo também eram imensas, como também a cantina, salas de aula... Infelizmente é este o estado das escolas no nosso país.
Os hábitos desportivos realmente começam nas escolas, mas também com boas infraestruturas!
Lembro que também no Porto, não vi materiais desportivos.
Espero que haja melhorias em tempos próximos!
Saudações

bc23 disse...

Concordo que, mais uma vez, tudo começa na escola... mas as condições às vezes não são tão fáceis de criar como parecem. Até porque no concelho há mais de 80 EB1... e se uma for excelente a outra também tem de ser.
Não conheço a realidade do dia a dia, mas pelo que tenho ouvido, as coisas vêm melhorando de ano para ano... os centros escolares que estão a começar a nascer deverão trazer novidades a este nível.

Quanto ao pavilhão... mais uma vez digo que não acho assim tão necessário, até porque é muito caro, mas nas propostas descrevo a opção de se entrar em parceria com a AEP, de modo a que o pavilhão desportivo multiusos projectado na década de 90 para as imediações do Europarque (10.000 LUGARES SENTADOS) possa ser uma realidade, nem que seja mais pequeno do que o projecto inical.

Quanto ao estádio:
- em primeiro, fica a ganhar em qualidade visual todo o centro da cidade, com a saída daquele monstro e a construção de edifícios mais modernos, assim como o nascimento de um novo arruamento;
- em segundo, a câmara não terá de investir nem um tostão... apenas falo no assunto porque poderá ajudar em questões administrativas;
- em terceiro, ganha a cidade um estádio, que pode ser muito mais do que isso... para além de futebol, poderá receber outro tipo de actividades, dimensionadas para grandes públicos... estamos a falar de mais de 12.000 pessoas sentadas em bancadas cobertas (tudo isso de INVESTIMENTO PRIVADO).

Mafalda disse...

O facto das escolas de Norte a Sul do país terem escolas no geral sem condições, é uma FORTE MOTIVAÇÃO PARA A FEIRA SE DESTACAR NESTA ÁREA RELATIVAMENTE AO RESTO DO PAÍS.

Mas não... investiu-se na distinção pela Cultura. ok... E Óbidos também... É óptimo, eu adoro os eventos!, mas não traz o "futuro".

O "futuro" no sentido de formar os nossos jovens. Futuro no sentido de cativar para cá mais gente nova com filhos.

Vejam a taxa de insucesso escolar nesta zona e comparem-na com o resto do país. É preciso mostrar aos nossos jovens que há muito mais do que terminar o 9.º e ir fazer uma tarefa qualquer a ganhar o salário mínimo.

Mas isto dá muito mais trabalho do que trabalhar na Cultura... Sem dúvida que é um trabalho muiiiiiiiiiiito difícil mas tem que ser feito. É este que IGUALA OPORTUNIDADES - é aqui que se deve gastar o dinheirinho que tanto nos custa descontar mensalmente...

Sugestão para 2009: pegar na equipa TODA do pessoal da Feira Viva e entregar-lhes o pelouro da Educação no Concelho. :)

Só sobre o Estádio - não concordo contigo. Olha para o estádio de Aveiro... esquece. Não há dimensão. Agora... que haveria muito empreeiteiro a adorar a ideia havia.

Pedro disse...

Ainda não me tinha pronunciado sobre o Estádio. Ficar ou não ficar?
Envolve muitos pontos a favor e contra:
Tendo o Estádio fora do centro da cidade, já não teríamos aquele velhinho campo. Mas isto traria outros problemas, como o dos velhinhos que gostam de ir ver o jogo ao Domingo, e estando o estádio fora da cidade, menos pessoas iriam. Ora bem, isto leva-nos a uma carência enorme em todo o concelho da Feira, os transportes, que se teria que fazer um investimento muito grande para, pelo menos, esses velhinhos poderem continuar a ir ao estádio aos Domingos. Leva-nos ainda a outro ponto, que é das infraestruturas a nível rodoviário, nomeadamente a sempre adiada via Feira-Arouca, que teima em nunca mais arrancar, e que sem ela, iríamos ter algum caos naquela estrada em dias de jogo.
São pontos que se terão que falar noutras abordagens, nomeadamente a nível rodoviário e de transportes!

bc23 disse...

Bem, por partes... já que pedem, vou ter de levantar a ponta do véu... Transportes e Acessibilidades são mais algumas das prioridades sobre as quais vou escrever... mas mais no topo da lista.

Quanto ao estádio... em primeiro, nem de perto nem de longe o novo estádio Marcolino de Castro se pode comparar ao estádio de Aveiro. Além do mais, um estádio em que o feirense não pode jogar se por ventura subir à Liga Sagres é absolutamente dispensável.
Quanto aos empreiteiros... o estádio não será uma obra assim tão cara, até porque se localizará num complexo, em que as instalações de apoio, incluindo balneários já existem... é basicamente construir o relvado e as bancadas. Por outro lado, a ideia do feirense, que pelo que sei terá pernas para andar, é trocar o terreno do actual estádio, com viabilidade de construção pelo novo estádio já pronto... é um negócio especial!

Voltando à educação... gostei da ideia da Feira Viva coordenar durante um ano o pelouro da educação. Novas ideias são sempre benvindas, mas acho que o trabalho deste último mandato tem sido, não excelente, mas bastante bom. Na minha opinião existem melhorias... mas vai demorar muito tempo até que seja possível ter disponível essa escola de sonho.

Mafalda disse...

Estádio - quando me referia a empreiteiros que iriam gostar da ideia de mudar o estádio, estava-me a referir ao que iriam construir no espaço do actual. Com a raridade de espaço para novas construções no centro, aquele terreno vinha mesmo a calhar. ;)

Já agora... o que é que vai acontecer ao espaço do antigo tribunal? Sabem?

Educação - é por demorar tanto tempo que não se investe a sério neste projecto - os resultados demoram a aparecer, não se ganham eleições assim..
Agora... uma terra dos sonhos... isso sim tem impacto mediático.

Não concordo com o trabalho bom na educação. De maneira nenhuma! É difícil perceber para quem não está por dentro ou por quem não quer ver (refiro-me a pais que vão à escola diariamente depositar os filhos e não "olham" para a escola).

Sabem o que era giro - um jornal aqui da terra fazer um especial sobre escolas da cidade - profundo.
Desde projectos de escolas de ANOS que nunca mais se vê nada em concreto, até escolas que se degradam e estão à espera de novas que nunca mais aparecem..., até material que não chega às escolas, até Actividades extra-curriculares que são uma fantochada (onde já se viu dar música sem um único instrumento?!?!?!?!?!?), até falta da ***** de um armário pedido à não sei quanto tempo... Muito mau mesmo, até internets que não funcionam.... A comunicação escolas câmara é má.

Era muito interessante um jornalista fazer um trabalho nesta área - ouvir professores, agrupamento, associações de pais e claro... câmara...

Hello?!?! será que alguém me está a ouvir?
bc23... o que fazes?... da forma como estás informado.... ou és do sis ou és jornalista... :D

Agora a sério, eu acho que muito pouca gente tem consciência das carências que existem, mesmo tendo filhos nas escolas...

bc23 disse...

Bem... estás longe Mafalda, não sou do SIS nem sou jornalista. :)

Quanto ao velho Tribunal... nada se sabe de concreto!!! Já se ouviu falar de 3 coisas, mas nada oficial:
- construir no mesmo local um tribunal de raiz
- encher os cofres da câmara com a venda do terreno para um centro comercial
- simplesmente demolir e fazer uma grande praça para a cidade

Muito sinceramente gosto mais da última hipótese... até porque a concretizar-se mesmo a ideia de um tribunal de raiz não seria mau desloca-lo um pouco para longe do centro... criar dinâmica noutras zonas da cidade, por exemplo no prolongamento da av. 25 Abril (Picalhos) a construir com a construção da via feira-Arouca.

Quanto à educação, volto a dizer que tens razão, que falta muita coisa... mas também volto a reafirmar que com tantas escolas é complicado.
Já quanto à Terra dos Sonhos... até deu lucro! É uma coisa completamente diferente.

Pedro disse...

Em relação ao local do Tribunal? Um tribunal de raiz é uma hipótese, mas o terreno acho que era pantanoso, e é melhor não arriscar! Um centro Comercial? Por favor, a construção do Fórum Santa Maria da Feira nunca mais arranca, e esse irá chegar, por enquanto, até porque temos a muito poucos kms 2 centros comerciais, e um deles está na miséria, refiro-me ao de Ovar. Um centro comercial ainda por cima no Centro da cidade? O caos já é muito. uma praça já é de bom gosto, com algumas árvores, destruir só o tribunal e deixar estar a alameda. É só uma ideia.
Gosto da ideia de deslocalizar o tribunal. Temos a cidade a crescer, e ajuda sempre não ter Edifícios Públicos no centro!