sexta-feira, 16 de janeiro de 2009

Voltamos a 1985!!!

Vila da Feira?! Ora, parece que a redacção da TVI recuou no tempo... mas tanto que a própria estação ainda não existe!
Ou será que Manuela Ferreira Leite afinal não esteve esta noite em Santa Maria da Feira?

15 comentários:

Pedro disse...

Cidade a VINTE E CINCO anos e, por incrível que pareça, a comunicação social continua a chamar-lhe de Vila da Feira. Só as pessoas mais velhas de cá que eu conheço é que continuam a chamar assim "vou à Vila"! Será que a TVI tem algum habitante da feira assim com mais idade a trabalhar por lá?????
ACTUALIZEM-SE PÁ!!!!!

Vamo-nos unir e dizer: CHEGA!!!

Anónimo disse...

Certamente é cidade à 25 anos, mas foi durante muito mais tempo Vila da Feira. Na minha modesta opinião, preferia que assim fosse. Sentir-se-iam os feirenses minorizados pelo facto de Santa Maria da Feira se denominar Vila da Feira?eu, pelos menos, não! Não será um pouco uma questão de "querer mostrar grandeza"?
E fica tão mal a uma cidade ainda não estar totalmente coberta por uma rede de água e saneamento...qual cidade?

bc23 disse...

Pessoalmente tb não me importava que se chamasse Vila da Feira... mas a verdade é que se chama Santa Maria da Feira... e como tal a comunicação social tem o dever de RESPEITAR todo o pais e manter-se actualizada!

Quanto à rede de água e saneamento... voltamos a bater no mesmo. Se a solução não estivesse em marcha até concordaria, agora quando tudo está sobre rodas porque se teima em bater no mesmo, em vez de se projectar o futuro?
E já agora... quando nem Porto e Lisboa estão 100% cobertos por água e saneamento...

Pedro disse...

De certas pessoas preferirem que se chame Vila da Feira, é lá com elas, mas a verdade é que se chama Santa Maria da Feira.
Conheço um caso de um concelho da área metropolitana de Lisboa que tinha de nome Porcalhota, e mudaram o nome e já ninguém lhe chama assim, chamam-lhe de Amadora. E no entanto, a comunicação social identifica-a como Amadora, não como Porcalhota.

bc23 disse...

Já não me lembrava dessa da Porcalhota... porque será? Talvez por isso mesmo: já ninguém usa esse nome!

Anónimo disse...

Acho perfeitamente compreensível que cidades como o Porto e Lisboa não estejam cobertas 100% pelos serviços de água a saneamento, agora o que não posso concordar é que eu, como habitante da Feira, que moro a 3Km do centro da cidade, tenha que efectuar a minha descargar de águas residuais, vulgo esgoto, para uma fossa séptica, por falta de alternativas. Com isso não posso eu! Aliás, o executivo já deveria de ter resolvido esta vergonha, dada a distância a que me encontro do rossio, e face ao tempo que já dispuseram para resolver a situação. Agora, fico perfeitamente incrédulo quando se fica a saber as quantias gastas em torno da "cultura". Meus senhores sejamos realistas, antes de se queimarem os foguetes, resolvam as necessidades básicas.

bc23 disse...

Afinal de contas... e per capita, porque é isso que realmente interessa, a Feira é um dos concelhos do pais que menos gasta com a cultura... e mesmo assim vemos estes resultados: excelente trabalho! Gaste-se ainda mais!

DLms disse...

Não percebo o seu comentário, sinceramente penso que essa sua visão dos problemas é que, infelizmente se tem vindo a generalizar nos últimos anos! Será assim tão importante equiparamo-nos a outros concelhos onde "se gasta mais ou menos do que nós"?

Cada concelho tem carências e identidades próprias.

Então, nesse caso, efectue-se uma comparação a todos os níveis: será que aqui se gasta tanto com o saneamento como nesses ditos concelhos?

Penso que existem outras prioridades, bem mais importantes, do que não a cultura. Não digo que a cultura não seja importante, mas será que não seria mais proveitoso diminuir o orçamento desse pelouro e, por outro lado, poder aumentar o das infra-estruturas públicas???

Há que pensar também na periferia, os votos não estão apenas no centro. É urgente dotar a feira (concelho) de boas infra-estruturas básicas.

Já agora, gostaria de saber que outros concelhos equiparáveis gastam "mais do que a feira" em termos da cultura.

bc23 disse...

«Cada concelho tem carências e identidades próprias.»... concordo! E a identidade que Santa Maria da Feira conseguiu criar baseia-se nos grandes eventos que realiza. É absolutamente uma aposta ganha... e afinal de contas muito mais barata do que parece. Viagem medieval com mais de 70% de auto-sustentabilidade, Terra dos Sonhos a dar lucro... Imaginarius a crescer... e com isso também a sponsorização e o encaixe financeiro.

Quanto ao saneamento temos o MAIOR investimento do país na área!

Quanto ao reduzir o orçamento da cultura... a verdade é que mesmo com ao aumento do impacto mediático isso vem acontecendo... os grandes projectos custam cada vez mais... mas dos cofres da autarquia sai cada vez menos!

Também concordo que «É urgente dotar a feira (concelho) de boas infra-estruturas básicas.»... mas deixar de investir na área cultural é destruir o novo modelo de económico (ainda não totalmente estável) do concelho.

Quanto aos gastos na cultura remeto para um estudo da Marktest divulgado em Setembro de 2008:
http://www.marktest.com/wap/a/n/id~115a.aspx
E que dei destaque neste blog:
http://23kronikasfeirenses.blogspot.com/2008/09/as-contas-da-cultura.html
Um estudo que divulga dados dos 308 municípios globais e per capita. De modo global a Feira só se destaca no investimento em artes cénicas... em dados per capita surge no grupo dos 139 menos gastadores... afinal os dados têm de ser comparáveis... só o ratio com a população o permite fazer. Afinal de contas há quase 200 concelhos em Portugal que gastam mais com a cultura do que Santa Maria da Feira.

Pedro disse...

Outra vez para o Anónimo: meu caro, a situação do saneamento está-se a resolver!
Mais uma vez vou escrever isto, mas de forma um bocadinho diferente:
Se a câmara não investisse na cultura dizia que éramos uns atrasadinhos, como se investe, diz que aquilo é desnecessário! MINHA NOSSA!!!! Não o percebo....

QuercusSuber disse...

A cultura só é importante se as pessoas puderem desfrutar dela, e com os problemas que o nosso concelho possui, as dores de cabeça são de tal ordem nos feirenses que os espectáculos só fazem ter dores de cabeça.
Eu preferia não ter Imaginarius (por exemplo) e ter a Quinta do Eng Novo requalificada, onde todos os dias do ano pudesse me sentir bem ao passar por lá...

QuercusSuber disse...

A cultura só é importante se as pessoas puderem desfrutar dela, e com os problemas que o nosso concelho possui, as dores de cabeça são de tal ordem nos feirenses que os espectáculos só fazem ter mais dores de cabeça.
Eu preferia não ter Imaginarius (por exemplo) e ter a Quinta do Eng Novo requalificada, onde todos os dias do ano pudesse me sentir bem ao passar por lá...

bc23 disse...

Pois... mas o que seria hoje a Feira sem os eventos culturais... uma cidade completamente MORTA, FALIDA, ESQUECIDA... e se mesmo assim é ignorada por muita gente, imagina o que seria da Feira sem o impacto que a cultura lhe dá.
É verdade que falta muita coisa... mas também é verdade que a cultura que temos hoje foi construída e sustentada muito lentamente... hoje, Imaginarius e Viagem Medieval são já obrigatórios!!!!
Matá-los é matar a cidade... e por arrasto o concelho!

Tudo é sempre muito discutível... e os gastos logicamente, mas quando o impacto económico atinge a dimensão que tem hoje torna-se impossível olhar somente para o investimento do próprio evento... olhe-se também para o retorno económico que não entra nos cofres da autarquia, mas na economia local!

Em resumo... eu preferia ter tudo! Todos os eventos que temos... e muitos mais... todas as obras concluídas... a quinta do eng novo requalificada... mas ter isso tudo para ontem é pura utopia!

Anónimo disse...

Tudo? pedir que o saneamento passe em minha casa, que moro a menos de 3 km do rossio, é pedir demais? E será que 20 anos não chega para fazer chegar um esgoto a 3 Km da Câmara Municipal...EU TAMBÉM PAGO IMPOSTOS!!!!HAJA É VONTADE, porque o que me parece é que "foguetes dão maior impacto" do que passar um colector debaixo da estrada...

bc23 disse...

Bom voltando ao já mais que batido tema do saneamento... e esquecendo que está tudo calendarizado e que dentro de 2 anos estará tudo concluído.

Vai haver sempre falhas. Como em tudo nunca se vai atingir os 100% e às vezes é perto dos centros que estão os problemas. Quando uma rede cobre 95% da população de um concelho, considera-se a nível europeu que essa população está 100% servida... até porque o 100% é inatingível.

Ninguém disse que foguetes têm mais impacto, até porque em termos de orçamento tudo está incluído... mas parece que muita gente já se esqueceu do motivo que levou a Feira a este mega atraso no processo... ou não estivesse a Feira, há 12 anos, na linha da frente nacional para a solução.