quinta-feira, 15 de janeiro de 2009

10 Dias | 10 Abordagens Prioritárias para a Cidade (6º)

Ao quinto dia o tema é Ambiente... mas decidi aplicar outra expressão, uma vez que considero mais indicativa das necessidades: ZONAS VERDES.

A cidade de Santa Maria da Feira é um exemplo a nível nacional no que à área verde diz respeito... embora nem sempre esteja devidamente aproveitada. Com a questão do saneamento a ser solucionada, a despoluição dos cursos de água vem por arrasto, mas é preciso dar-lhes vida. No que à cidade diz respeito, o rio Cáster está na grande maioria do seu leito abandonado. Urge dar vida ao verde da cidade:

- concluir o Parque da Cidade. Desbravar terreno no leito do Cáster das Guimbras a Balteiro, instalar caminhos, iluminação e um conjunto de vegetação adequada;

- avançar com o já muito falado mini parque da cidade, nas margens do Cáster, junto a Picalhos;

- devolver a Quinta do Castelo à população e voltar a dar-lhe vida;

- apostar nas pequenas zonas verdes das novas áreas residenciais (Quinta dos Oliveiras, Picalhos, Santo André...);

- avançar com o projecto da encosta do Calvário, salvo se o projecto de expansão do Hospital de São Sebastião não o permitir.

10 comentários:

Pedro disse...

Desconheço o projecto da Encosta do Calvário.
Na Quinta do Castelo, li a uns tempos a possibilidade de ser uma espécie de Fundação de Serralves. Já não me lembro bem! Não sei se ouviste falar, e se sabes como está essa proposta.
O Parque da Cidade está em crescimento! Já teve a 1ª fase, agora teremos que esperar pelo resto, e fazer algumas exigências para um parque da cidade digno. As exigências a que me refiro são: locais de desporto (campos de básquete, ténis, vólei, etc), wc público, e, para isto funcionar bem, um segurança para vigiar as redes desses campos e os actos de vandalismo e algumas câmaras de vigilância até para nos sentirmos mais seguros e sermos uma referência a nível nacional.

QuercusSuber disse...

Contrariamente a outras prioridades, que extravasaste, e bem para o resto do concelho, neste particular esqueces um dos maiores parques Municipais, que é a Quinta do Engenho Novo, se calhar é por estar postada ao abandono há vários anos pela autarquia, ali deveria devolver-se a quinta as pessoas requalificando toda a área, e exigindo do Oásis tenista uma quota parte de responsabilidade na preservação do espaço.
Pensar em requalificar as zonas verdes sem pensar na quinta do engenho novo é um erro crasso de centralismo que não se entende neste laranjal que é Santa Maria da Feira..

Pedro disse...

Realmente desconheço um bocado a Quinta do Engenho Novo, mas é bom que não se deixe ao abandono, pois os habitantes do Norte da Feira também merecem espaços de lazer.

bc23 disse...

Bom, começando pela Quinta do Engenho Novo. Passo a esclarecer a exclusão... esta sequência de posts diz respeito à cidade da Feira. Para já optei por não fazer uma abordagem ao concelho... mas aceito o desafio: ir mais longe. A ver vamos se dentro de algum tempo, quem sabe na altura das autárquicas, alargo o leque de prioridades a todo o concelho. Até porque assim sendo, faltariam muito mais coisas.
Mas já que tocamos no assunto... Quinta do Engenho Novo... confesso que só lá fui uma vez! Um espaço fabuloso, com um projecto de requalificação fantástico, mas que vem sendo sucessivamente atrasado.
Existe neste momento (já há alguns anos) um projecto de requalificação, que se baseia nos caminhos, iluminação e reconversão da vegetação... mas cria uma área fantástica, com um espelho e queda de água nas ruínas do engenho.
Se falarmos do concelho, este projecto passa à frente de muitos dos que falo para a cidade.

Voltando à cidade...

Encosta do calvário... é um projecto localizado na encosta entre a descida do calvário e a variante (traseiras do hospital), em que aquela zona seria convertida numa área verde, sendo no topo construída uma capela/santuário a Santa Maria. A ideia é bem velhinha... já no ano 2000 foi inaugurada a figura que iria ser o destaque do projecto... uma imagem com cerca de 2.5 metros de altura de Maria com Jesus ao colo, e que hoje se encontra na entrada do convento dos lóios.
Seria um projecto diferente dos outras... mas era mais uma área verde.

Quanto à Quinta do Castelo, a ideia, porque para já nada está definido é mesmo criar um pólo de Serralves na Feira. O palacete, onde funciona o infantário seria convertido em zona de exposições e casa de chá, sendo a zona verde recuperada. Para tal, a Câmara já é sócio fundador da Fundação de Serralves... com um investimento já bem grandinho.

Quanto ao parque da cidade, do pouco que se sabe, a segunda fase vai envolver a requalificação da zona em torno das piscinas... criação de estruturas dignas para circuito de manutenção... instalação de bancos... quanto a casas de banho já existem nas traseiras da piscina. Quanto a desporto de recinto... para já nada!
A terceira fase será a criação da via pedonal nas margens do Cáster até Balteiro... cerca de 1Km.

Pedro disse...

lembro que as casas de banho das traseiras das piscinas muitas vezes estão fechadas...

bc23 disse...

Quase sempre... mas podem perfeitamente ser aproveitadas para o parque...

QuercusSuber disse...

Quando aqui foi referido por exemplo, as prioridades para a indústria, foi aludido e bem, as zonas industriais noutras terras do concelho, seguindo essa lógica do autor, não entendi a falta de coerência ao ignorar outros locais no concelho, dos quais destaquei a Quinta do Engenho novo em Paços de Brandão, que de entre outros parques é o maior e o mais abandonado, e o que têm maior potencial para se construir um grande espaço de lazer para todos os Feirenses. Aqui é óbvia e execrável a atitude de desmazelo dos responsáveis autárquicos, a Câmara diz que entrega dinheiro a junta para a manutenção, a junta diz que esperava ser a SUMA a limpar, e eu digo que simplesmente não querem saber...façam uma visita e vejam o quão degradante aquilo se encontra, e a julgar pelo que disse bc23 o que poderia ser... gostava de ver alguém fazer algo pelo que é um bem de todos nós..

bc23 disse...

QuercusSuber, a referência que fiz a zonas industriais fora da cidade foi para reforçar a minha ideia de que a Feira deve continuar a apostar em industria "pesada"... mas as duas zonas industrias da cidade já não cumprem esse propósito... daí que tenha dado exemplos de outras, no concelho, que cumprem na perfeição essa finalidade.

Quanto à limpeza de valetas... a expressão aplicada há algum tempo cai que nem uma luva "Suma com a SUMA!"... felizmente já foi passear...
Coisa que nunca percebi é como a mesma empresa consegue fazer na perfeição a limpeza urbana, mas a limpeza de valetas não funcionou.

Anónimo disse...

E relativamente à falta de zonas verdes na malha urbana?é uma pena verificar que nos "cogumelos" que nascem na zona da antiga quinta do antero (zona ao lado direito dos passionistas)quase não existem zonas verdes com jardins...

bc23 disse...

...apesar de se chamar "Jardins da Feira"...