terça-feira, 13 de janeiro de 2009

10 Dias | 10 Abordagens Prioritárias para a Cidade (8º)


Terceiro dia de viagem pelas prioridades de desenvolvimento da cidade. A 8ª posição do ranking é ocupada pela INDÚSTRIA.

Santa Maria da Feira assumiu-se no último século como um enorme centro industrial, onde, actualmente, a cortiça e o calçado dominam o panorama no que ao sector secundário diz respeito. Os tempos mudam-se e as necessidades também. O que ontem eram zonas industriais por excelência, hoje não passam de espaços de grande concentração comercial e de serviços, com a tendência a manter-se nos próximos tempos... e tentar alterar esta dinâmica nas duas zonas industriais da cidade é cometer um grande erro. Roligo e Cavaco/Corujeira irão concerteza seguir a tendência de domínio do sector terciário, mas a indústria não pode morrer. As zonas industriais mais distantes da cidade (ex. Rio Meão, Silveirinha, Casalinho, Fiães, Vila Maior/Canedo, Arrifana, Mozelos,...) deverão ser reforçadas, assim como os incentivos à fixação de empresas e investimento. A diversificação do tecido industrial deverá ser uma prioridade, papel que a autarquia deve desempenhar sem reticências.

A criação de Parques Empresariais será sem dúvida uma mais valia. O Feira Park será uma pedrada no charco, abrindo portas à instalação de empresas de tecnologia de ponta em Santa Maria da Feira. Já com Parque Empresarial da Cortiça tudo é diferente. Falamos de um investimento com vista à manutenção de um ramo de indústria que tende a instalar-se no Alentejo, mais próximo da matéria-prima. Só com a criação de condições de excelência se poderá manter os níveis actuais... mas o valor dos investimentos poderá ser um grande obstáculo. Considero que este investimento deverá ser acompanhado de perto, de modo a evitar a criação de um flop corticeiro. Com o Parque Empresarial da Reciclagem de Materiais o caso é outro... até pode haver reticências à trasnferência das empresas, mas há que fazer cumprir a lei. É altura de acabar com as dezenas de sucatas do concelho.

Com este conjunto de investimentos será dado um primeiro passo, mas considero insuficente, uma vez que a diversificação não está assegurada. Apesar da tendência de crescimento do sector terciário no concelho, a aposta na indústria deverá manter-se... a força desta região foi desde sempre conferida pelo sector secundário.

8 comentários:

Pedro disse...

Chegamos a um ponto complicado, a indústria! Só posso dizer uma coisa, temos as zonas industriais, não temos é as empresas que bem continuam a fugir e a aumentar o desemprego.
Já muito ouvi sobre o Feira Park, o Parque Empresarial da Cortiça, e o Parque Empresarial da Reciclagem de Materiais. Neste momento só posso dizer: vou esperar para ver que novidades nos trazem a nível empresarial.

Mafalda disse...

Expandam o Roligo - tem uma localização ***** - apostem aí.

Não percebo como deixaram construir moradias ao lado, tão perto da ZI. Pena... Porque é a melhor localização para instalar um negócio quando se quer cobrir a zona sul do porto.

Mafalda disse...

Expandam o Roligo - tem uma localização ***** - apostem aí.

Não percebo como deixaram construir moradias ao lado, tão perto da ZI. Pena... Porque é a melhor localização para instalar um negócio quando se quer cobrir a zona sul do porto.

bc23 disse...

Mafalda, a expansão do Roligo está pendente de outro projecto que a concretizar-se será talvez mais importante para a Feira. A área que estava destinada à expansão desta zona industrial (a que apelido de comercial) é a mesma que foi disponibilizada à Fundação Técnica e Científica do desporto para a construção do seu complexo educacional... inicialmente de nível secundário, com possibilidade de evolução para nível universitário.
De qualquer forma não faltarão alternativas... se a poente não é possível, com pequenos reajustes de configuração talvez seja possível expandir a sul... e por que não pensar desde já numa expansão do feira park?
Por outro lado, a nova configuração de acessibilidades da cidade que virá da via Feira-Arouca, transforma o cavaco num local extremamente acessível... existe já em PDM uma enorme área para expansão industrial, que irá completar a ligação entre a zona industrial do cavaco e a da Corujeira... quanto mais depressa melhor!

De qualquer forma... com o evoluir da cidade e atendendo à forma como estas zonas estão a crescer - tendência comercial - não serão o melhor local para instalar indústria pesada... mas o resto do concelho está disponível.
Há várias zonas passíveis de receberem indústria (Nogueira da Regedoura, Gião,...).

Mafalda disse...

Fundação Técnica e Científica do desporto?
Não sei o que é nem que projecto é...
Estamos a falar de onde?

Pedro disse...

Já tive oportunidade de andar a cuscar através do google a esse projecto. Mafalda, deixo aqui o site: http://www.fundacaodesporto.org/v3/
Parece ser interessante.

bc23 disse...

A FTCD é a mesma que abriu recentemente o Colégio Pierre de Coubertain no centro da Feira (junto aos bombeiros). O projecto do centro desportivo em espargo, ao fundo do roligo, já se vem desenvolvendo há alguns anos daí que a já falada expansão da zona industrial esteja em banho-maria.
O site que o pedro deixou tem todos os pormenores já conhecidos do projecto... que espero mesmo se torne realidade.

Mafalda disse...

Já fui lá espreitar. Obrigada!